Fitness e Cães atletas

Condicionamento físico de cães atletas

Retirado do livro Reabilitação e fisioterapia na prática de pequenos animais, dos autores Levine, D. et al.

cao atleta“O condicionamento físico pode ser definido como o processo de preparo físico e mental para a realização de uma atividade física intensa. Um cão atleta bem condicionado e treinado requer um proprietário, treinador ou tratador comprometidos com o programa de condicionamento bem definido. O treinamento cardiovascular e musculoesquelético são partes fundamentais do programa. O treinamento também é importante, pois ensina o cão atleta as especificidades de cada atividade esportiva, também influenciando no comportamento do animal.

O condicionamento inicia precocemente na vida de um cão atleta, porém exercícios intensos são contraindicados quando filhotes, porque as epífises ósseas ainda estão abertas. Cada tipo de cão tem um período diferente de fechamento das epífises. Antes do fechamento das epífises, o condicionamento se restringe a brincadeiras e atividades voluntárias (corridas e caminhadas).

É importante que o animal seja testado ou que tenha sua família analisada, para evitar que doenças exacerbem, como a displasia coxofemoral. O condicionamento propriamente dito se inicia na puberdade, quando os hormônios andrógenos surgem, pois são importantes para o desenvolvimento muscular.

ALIMENTAÇÃO

Outro ponto chave no condicionamento de cães atletas é a nutrição. Ela deve ser balanceada e completa, com ingredientes de qualidade, de preferência ração super premium. É importante para manutenção e crescimento do cão atleta. Durante o período de exercícios intensos, os cães não devem ser alimentados.

O esvaziamento gástrico é atrasado em mais de 1 hora pelos exercícios quando o cão é destreinado. A hidratação é de suma importância, devendo ser fornecida água de qualidade à vontade, principalmente em ambientes mais quentes.

SISTEMA CARDIOVASCULAR

Durante a realização de exercícios físicos, ocorre um aumento na frequência cardíaca e na pressão arterial. Com o tempo, também ocorre aumento de hemácias no sangue. A frequência cardíaca é maior em cães obesos sendo exercitados do que em cães com peso normal. Com o tempo, o treinamento leva à adaptação do sistema cardiovascular. Estudos em humanos atletas revelaram uma diminuição da frequência cardíaca quando a pessoa está em repouso. Esse fato é particularmente observado durante o treinamento de resistência, mas também se apresenta como resposta ao treinamento de fortalecimento.

TESTE DE PREPARO

A resistência e adaptação ao exercício são avaliadas por meio de corrida em esteira, testes de caminhada com duração de 6 minutos ou pela performance física do cão durante atividades em espaço aberto como gramado, campo ou pista.

INÍCIO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO

Durante a montagem de um plano de treinamento, é feita a escolha da frequência, intensidade e duração dos exercícios. A frequência é definida como o número de ciclos de exercício em um período de tempo (por sessão, dia ou semana). Em excesso podem ter impacto negativo no treinamento, irritar uma condição existente ou causar uma lesão, por causa do repouso insuficiente, a fadiga muscular ou cardiovascular excessiva, ou do estresse colocado sobre os tecidos durante a atividade. Não existem descrições científicas sobre os parâmetros ideais de exercícios de condicionamento físico e manutenção de cães atletas. O programa será feito especificamente para o seu cão, por um médico veterinário capacitado.

FORTALECIMENTO

A força muscular pode ser definida como a capacidade de um músculo ou grupo muscular de gerar tensão e uma força resultante. A força muscular é muito importante para cães de corrida. A força está intimamente relacionada à velocidade, como nos Greyhounds de corrida, que são muito fortes e podem alcançar uma velocidade de até 70km/h. O hormônio do crescimento pode aumentar a massa muscular em cães.

EXERCÍCIOS

Os exercícios de fortalecimento muscular se baseiam em alguns princípios básicos gerais, como o da especificidade e da sobrecarga.

– Princípio da especificidade: se refere à necessidade de treinamento dos sistemas do corpo usados durante uma atividade esportiva. Esse princípio aplicado no fortalecimento muscular visa o fortalecimento e treinamento dos grupos musculares responsáveis por uma ou várias ações necessárias para que o exercício seja realizado. O programa de fortalecimento deve ser específico para cada cão, direcionado ao tipo de atividade muscular necessária para a execução do exercício que o cão faz. Vamos dar um exemplo de um cão atleta que participa de competições de frisbee. Esse cão, em particular, acelera rapidamente em linha reta, salta, desacelera, vira-se, novamente inicia uma corrida e pula sobre um obstáculo. Então, para esse cão, o plano de fortalecimento dos membros pélvicos deve ser feito para aumentar a aceleração da corrida e o impulso do salto. Já o programa para seus membros torácicos será direcionado para aumentar a capacidade de desacelerar e girar o corpo.

– Princípio da sobrecarga: é o fator mais importante no programa de treinamento. O princípio diz que para aumentar a força (ou a resistência), deve-se empregar uma carga excedente à capacidade metabólica dos sistemas muscular e cardiorrespiratório durante o exercício. Esses sistemas devem ser exercitados até que cheguem à fadiga, para que se alcance uma melhor performance esportiva.

Os exercícios de fortalecimento incluem trote, trote em superfície inclinada, brincadeiras controladas usando bolas, puxar pesos ou carroças, galope, natação, dança, recuperação e carrinho de mão. Atividades de velocidade incluem a aceleração e desaceleração rápidas em aclives e declives, brincadeiras com bolas e até brincadeiras e corridas com outros cães.

RESISTÊNCIA

A resistência é extremamente importante para cães atletas que fazem atividades de esforço prolongado, como o pastoreio. Os exercícios aeróbicos de resistência geralmente exercitam os grande grupos musculares por mais do que 15 minutos, e são realizados várias vezes por semana. A atividade aeróbica é responsável pelo aumento (a longo prazo) da oxigenação e vascularização dos tecidos musculares; e também pela perda de peso. Também nesses atletas se observam outras mudanças, como a diminuição da frequência cardíaca em repouso e aumento da capacidade de volume cardíaco, o que resulta em diminuição da pressão sanguínea em repouso, entre outras melhoras.

Todos esses fatores contribuem para um melhor desempenho esportivo. O treinamento também deixa mais fortes os ossos, músculos e tendões; e aumenta a resistência dos ligamentos e das cartilagens.  Se o cão não tiver fatores como obesidade e deformidade nos membros, por exemplo, a atividade física não irá predispor à osteoartrose. Para o treinamento de resistência são usados o trote, a natação, esteira aquática ou terrestre e tração.

EQUILÍBRIO E PROPRIOCEPÇÃO

As atividades físicas melhoram o equilíbrio e a propriocepção. Oequilíbrio é a capacidade de adaptação durante a locomoção ou estação, sendo que também está relacionado ao ajuste na mudança de direção ou de superfícies. A propriocepção é a percepção inconsciente do movimento e da orientação espacial gerada pelo corpo. Para um melhor desempenho nas atividades do cão atleta, a propriocepção e o equilíbrio devem estar aprimorados. O treinamento proprioceptivo pode ser feito com caminhadas em círculo ou em 8 e atividades de transposição de objetos de diferentes tamanhos e formatos. Os exercícios de equilíbrio são os que exigem uma resposta rápida à mudança de inclinação, como trampolim, natação e prancha de equilíbrio. Outras atividades de equilíbrio e agilidade incluem transposição de cavaletes, mudanças rápidas de direção durante o trote ou galope, exercícios com bola terapêutica, dança, carrinho de mão, cabo-de-guerra e brincadeiras controladas com bolas.

Outro ponto muito importante no plano de condicionamento físico é o repouso. O repouso auxilia na prevenção da fadiga muscular e de lesões por uso excessivo. Entretanto, quando o cão está condicionado, as pausas para repouso são diminuídas, além de ser responsável pela redução das taxas de ácido lático circulante ao término de atividades musculares intensas.

Além disso, o condicionamento físico previne a síndrome da rabdomiólise, que ocorre pelo acúmulo de íons hidrogênio no tecido muscular durante o exercício; edema e isquemia musculares; morte de hemácias localizadas nos tecidos musculares; mioglobinúria e insuficiência renal. Essa doença é mais comumente observada após exercício intenso e em cães com pouco condicionamento físico.”

Exercícios assistidos na hidroesteira, com diferentes níveis de profundidade de água, com ou sem bóia e brinquedos, tornam as sessões de Fitness recreativas e produtivas para melhorar a performance e o condicionamento físico de cães atletas,´melhorando também sua qualidade de vida!

Para um bom controle dos benefícios de treinamento, devemos monitorar ganho/perda de peso, interesse pelo alimento, hidratação e uma medida da musculatura das coxas também pode ser útil (essa medida deve ser feita com uma fita métrica).

Quanto à dieta, é claro que deve ser a melhor possível. O aporte protéico para cães em treinamento severo, chegou a 53% em cães de trenó, sem qualquer sinal de danos hepáticos ou renais. Os carbohidratos (não vamos aqui discutir nutrição!) tem importância reduzida já que o cão tem capacidade de convertê-los a partir de várias fontes. O mesmo se observa com relação às gorduras.

Já a suplementação de perdas de sais na dieta parece revelar poucos efeitos positivos, mas realmente, os estudos com relação a este tema são muito poucos.

CUIDADOS ESSENCIAIS

Na época atual, a preparação física dos cães tornou-se um tema de destaque, assim como a associação de treinos de proprietários e cães para a manutenção da saúde de ambos.

Quando os sistemas do organismo são forçados pelo trabalho físico, o corpo responde a fim de aumentar a capacidade para reduzir o esforço (resposta de treinamento).

Alguns componentes do corpo melhoram o desempenho mais rapidamente do que outros. Os mais lentos são as estruturas dos sistemas cardiovascular e esqueléticos (músculos). Os músculos expostos a esforços freqüentes e prolongados aumentam um número significativo de capilares por mm. Após alguns meses, atingem 100% de eficácia (o que permanece com a manutenção adequada).

O coração também aumenta em tamanho e os ossos se reorganizam, assim como os tendões e ligamentos se reforçam. Em geral, o período para se notar uma melhora vai de 2 a 6 meses. Já a massa muscular responde mais rapidamente.

MANEJO DE TREINAMENTO

Os cães, desde que possam se mover, devem ser encorajados a brincar e a se exercitar, respeitando-se os limites relativos à sua maturidade.

No início, quando mais exercício livre, respeitando o sono, a alimentação, etc… tanto melhor, pois beneficia o sistema de transporte de oxigênio (principalmente o enzimático). O criador e posteriormente o proprietário, deve encorajar os filhotes sozinhos ou em grupo, conforme a raça e o temperamento, evitando sempre que as brincadeiras transformem-se em brigas.

Já na fase de adestramento, a partir dos 4 a 6 meses, iniciamos com uma caminhada de 2 a 4 km, conforme a condição do cão e do treinador, 2 a 3 vezes na primeira semana.

A distância e a velocidade da caminhada podem ser aumentadas a cada semana, até um limite a ser considerado, conforme o objetivo.

A partir de 6 ou 7 meses, os incrementos de esforço (velocidade e distância) devem ser apenas quinzenais. Na necessidade ou na proximidade de competições, esses aumentos e cargas podem ser até diários. Quanto a esta frequência, existe muitos aspectos a abordar, mas de maneira geral, o treino deve ser feito mais do que uma vez por semana, por que menos do que isso se resulta infrutífero.

VARIAÇÃO DE TREINOS

Há outras formas de treinamento como natação, esteira, Hidroesteira, brincadeiras livres (bolas, iscas etc) ou no caso do Agility, onde o próprio exercício pode ser o treinamento.

Existem muitas teorias em relação à rigidez ou flexibilidade do ritmo de treinamento, mas neste caso temos que respeitar a individualidade do cão, sob pena de termos um animal apático e desinteressado.

O programa de treinamento deve ser desenvolvido EM CONJUNTO pelo veterinário, treinador e proprietário, com o objetivo de conseguir o melhor desempenho do cão sem afetar sua saúde.

MONITORANDO RESULTADOS

Gostaria ainda de citar os danos causados pela exaustão, pelo excesso de impacto sobre as articulações, pelos “achismos” desencontrados e uso de anabolizantes.

Claro é que, submeter um cão ainda não totalmente formado ao estresse do treinamento físico ou, pior ainda, fazer longas “férias!  entre os períodos de treinamento, parecem atitudes no mínimo impensadas. O dano causado sobre as extremidades de ossos longos, ligamentos e cápsulas articulares pelo uso de técnicas de alto impacto, determina até o abandono do animal para fins de esporte.

Por último, vale ressaltar o volume excepcional de efeitos colaterais pelo uso de esteróides anabolizantes e das fórmulas “geniais”  de suplementos absolutamente não testados cientificamente e que transformam cães de futuros atletas de sucesso a ” ferro velho”  sem futuro.

REGRAS DE OURO

1. O exercício deve ser, antes de mais nada, uma atividade prazeirosa para o cão e não um tormento.
2. Não force seu filhote a uma carga de exercício muito alta. Um filhote, especialmente de raças grandes, só atinge seu ápice em termos de massa muscular e ossatura após 24 meses.
3. Não utilize nenhum suplemento ou vitamina sem consultar seu veterinário.
4. Na prática de natação, a primeira coisa que ele deve aprender é como sair da piscina.
5. Nunca deixe seu cão sozinho na piscina, uma vez que ele pode afogar-se pela exaustão de ficar nadando para se manter na superfície.
6. As caminhadas mais severas nas raças grandes também podem ser feitas com bicicleta ou moto, mas sempre respeitando o ritmo do cachorro.
7. Nunca faça exercícios com o seu cão nas horas mais quentes do dia. Prefira o começo da manhã ou o final da tarde.

Fonte: petfisio.com.br

O crescimento da Homeopatia Veterinária

A Homeopatia Veterinária vem ganhando cada vez mais espaço no tratamento em animais, ela se caracteriza pela sua eficácia e segurança na cura das doenças, buscando o equilíbrio do animal em seus aspectos psíquicos e orgânicos, proporcionando uma melhor condição de vida.
O principal motivo pelo crescimento desse método é a satisfação e eficácia dos tratamentos, além de eliminar os riscos de efeitos colaterais, alergias e quaisquer outros problemas futuros, deixando seu animal totalmente imune e saudável.

Quais são os benefícios da homeopatia veterinária?

  • Fácil de dar. Todos os animais gostam das “bolinhas de açúcar”. Eles ingerem facilmente. Evite tocar por muito tempo o remédio com as mãos ou você pode neutralizá-lo;
  • Diminui o estresse. Nada de correr atrás do bicho para enfiar comprimido goela abaixo. Esqueça as agulhas e injeções. A medicação pode ser utilizada sem causar nenhum tipo de estresse ao animal;
  • Não tem efeito colateral. A homeopatia não danifica outros órgãos, pois trata o paciente como um todo, não apenas o órgão doente. Livre de efeitos indesejáveis, alergias e outros tipos de problemas;
  • Pode ser administrado em qualquer tipo de animal, de qualquer porte ou idade. Mesmo em animais mais sensíveis, como os silvestres, fêmeas prenhas, etc; a homeopatia pode ser utilizada sem medo;
  • É mais barato. Os medicamentos homeopáticos são relativamente mais baratos em relação aos demais, pela sua duração e efeito, conseguem ser vendidos a preços mais acessíveis. Vale o custo/benefício.

Onde encontrar?

A Arenales é uma empresa especializada em Homeopatia Animal e conta com um laboratório homeopático onde são fabricados produtos de qualidade e segurança para uso veterinário em tratamento e prevenção de doenças. Conheça nosso site e proteja seu animal. Seja ele cão, gato, peixe, cavalo, o importante para nós é ser saudável!

 

loja de homeopatia

 

 

Sarna Dermodécica

Sarna Dermodécica

A Sarna Dermodécica é um parasita que se aloja na pele do animal, e é produzida por ácaros minúsculos; Demodex canis no cão e pelo Demodex cati no gato.  Esses ácaros são muito pequenos para serem vistos a olho nu. Nos primeiros instantes de vida, o filhote adquire o ácaro da própria mãe se ela estiver contaminada, aparecendo os sintomas nos animais, se estiverem com a imunidade baixa.

Problemas que ajudam na manifestação da Sarna Demodécica, como o estresse, o cio, gestação, verminoses, falta de alimentação, abandono, disputas territoriais e animais presos por muito tempo, estão intimamente ligados a queda de imunidade.

O aparecimento de lesões causadas por esses ácaros, além de causar incômodo, queda na pelagem e aparência ruim, podem ser porta de entrada para outros tipos de infecções como bactérias e fungos.

Você pode preveni-la. Para te ajudar na prevenção, a Arenales Homeopatianimal, traz um medicamento natural que aumenta a imunidade do seu cão, deixando-o mais saudável e menos vulnerável a parasitas. Fator Pró Imune® é um medicamento homeopático de uso veterinário, sem efeitos colaterais e que busca suprir a carência do organismo animal.

Se você tem um cão acometido por sarna demodécica, é muito importante estar sempre levando ao (a) médico (a) veterinário (a) de confiança para acompanhamento e orientações adequadas.

Adquira o melhor remédio para Sarna Demodécica

pró imune pet

 

Março Amarelo: Doença renal em animais

Estamos no mês de março e você sabe o que isso significa? Significa que estamos no mês internacional do cuidado e prevenção da doença renal. Nossos pets precisam de proteção todos os meses do ano, mas neste mês a campanha ganha uma força maior e por isso devemos abraçar essa causa!

Ao longo do tempo muitas mudanças acontecem e interferem no organismo do nosso animal. Infelizmente essas mudanças também afetam os rins dos nossos animaizinhos e infelizmente a maior tendência é que eles comecem a “falhar”. O que pode ocorrer então é alguma doença renal em cães e gatos.

Causas da doença renal

Existem diversos fatores que podem causar a doença renal, entre eles:

  • Idade
  • Infecções
  • Câncer
  • Doenças congênitas e hereditárias
  • Parasitas como pulgas e carrapatos
  • Doenças autoimunes
  • Trauma
  • Reação tóxica a venenos ou medicamentos

Sintomas da doença renal

Estes são os primeiros sinais de que a doença renal pode estar acontecendo em seu amigo de 4 patas:

  • Vontade de fazer xixi a todo instante
  • Urina em tom claro
  • Urina com sangue
  • Sede excessiva
  • Vômitos e diarreia
  • Perda de peso

Caso note algum destes sinais, procure o médico veterinário rapidamente.

A Arenales é uma fabricante de produtos homeopáticos e tem o produto ideal para cada tratamento do seu melhor amigo. Em casos de doenças renais é indicado o Fator Renal Pet.

O FATOR RENAL PET® é um medicamento homeopático complementar em degeneração renal, urina sanguinolenta, acompanhado com febre, vômitos e desidratação. Com isso o Fator Renal Pet promove uma gradativa ativação da função renal, e consequentemente uma redução dos sintomas causados pela insuficiência renal. O ideal é que o tratamento se estenda para garantir a segurança e qualidade de vida do seu animal.

Se interessou? Confira nosso produto abaixo:

fator renal pet

A Arenales preza pela saúde e bem estar dos animais em qualquer ocasião. Garanta a felicidade do seu bichinho, use medicamentos de segurança!

Como cuidar dos animais de estimação durante o frio?

Baixas temperaturas também podem afetar os animais que não estão livres das doenças da estação. Patas, narizes e orelhas precisam de atenção especial durante os meses de inverno. Pet molhado e tremendo de frio é doença certa! Pet saudável e bem alimentado consegue regular melhor sua temperatura interna. Mas não subestime a saúde de seu animal. A seguir, algumas dicas para que seu pet tenha um inverno bem aquecido.

Para os animais que ficam fora de casa

Para quem tem cães de guarda, o aliado à segurança da família merece um abrigo seguro para se proteger do vento, chuva e frio. Independente do material constituído, as casinhas de cachorro devem estar dispostas de forma a não receber rajadas de vento. Da mesma forma, seria interessante respeitar uma boa orientação solar para que ela receba a maior quantidade possível de raios solares durante o dia.

 

Verifique se existe alguma goteira que comprometa o conforto térmico do local. Se você tem o costume de oferecer cobertas, trocá-las semanalmente auxilia a manter a saúde da pele e pelos do animal. Nunca deixe seu cão em cobertores molhados.

Alimentação

Talvez seja interessante aumentar um pouco o aporte energético do cão que dorme fora de casa. Alguma coisa em torno de 15% favorece a produção de uma camada de gordura, ganhando assim um aliado à manutenção do calor do corpo. Em caso de doença, estar com um pouco de reserva também auxilia na recuperação. Cães enfermos podem ficar alguns dias sem querer se alimentar. Pergunte ao veterinário sobre o estado corporal de seu cão antes de aumentar a quantidade de ração.

Roupas

Nada contra se seu cão aceitar roupas no inverno, mas jamais deixe-as molhadas sobre o corpo dele. Se você tem um gato que tem livre acesso à rua, tenha em casa um local aquecido e pronto para recebê-lo. Se possível, permita a ele passeios mais curtos nessa época do ano e isso vale também para os cães. Algumas pessoas acostumaram seus pets a caminhar com sapatilhas especiais que protegem as patas da umidade e do frio. Mas se seu cão não se adaptou, deixar os pelos entre os dedos das patas mais curtos facilita a secagem quando o animal voltar para casa.

Quem tem pássaros pode ter que trocar a gaiola de lugar no período de inverno. O abre e fecha de portas e janelas pode prejudicar a saúde deles. Sem esquecer que gaiolas também precisam ser cobertas à noite, o que auxilia a manter o calor.

Para os animais que ficam dentro de casa

O vilão dos animais que ficam no ambiente interno são as mudanças bruscas de temperatura. Na hora de sair, é bom o uso de vestuário adequado e perder alguns minutos na cozinha, antes de ir à rua, é uma forma de seu cão se adaptar à diferença de temperatura de forma lenta e progressiva. Alguns também sofrem com o ar condicionado por ressecar as vias respiratorias. Animais que vivem dentro de casa já não necessitam de reforço alimentar, pelo contrário: por se exercitar menos nessa época do ano, os pets tendem a engordar.

Cuidado especial para quem costuma dar banhos no seu pet em casa. Nunca deixe o animal se secar sozinho, mesmo em ambiente seco. Nosso inverno é úmido e cães e gatos peludos podem desenvolver fungos nos pelos. Para aqueles sem cobertura pilosa, como os pinschers, uma roupinha vai muito bem, mas deve-se respeitar momentos sem roupas para a ventilação da pele.

Os animais que sofrem de reumatismo, mais comum em animais velhos, terão suas dores aumentadas com o inverno. O ideal é deixá-lo em um ambiente quente e longe das correntes de ar, como porta e janelas. Se é um animal de livre trânsito pelo pátio, melhor seria confiná-lo durante os períodos mais frios. Animais velhos ou covalescentes também precisam desse cuidado.

 

E para quem leva seus mascotes para regiões de frio extremo, é bom lembrar que nossos cães não estão acostumados com neve, muito menos estamos habituados a nos preocupar com as extremidades dos corpos deles. Produtos específicos para a proteção das extremidades dos cães costumam ser vendidos em pet shops locais.

Doenças Respiratórias

Vilãs do inverno, animais envelhecidos, convalescentes ou que atravessam um período de baixa imunidade podem ter seus efeitos agravados, prejudicando ainda mais sua saúde. Para alguns agentes patológicos, o uso preventivo da vacina continua sendo uma boa opção. Consulte um veterinário.

Prevenção

Para prevenir e aumentar a imunidade do seu pet nessas épocas a Arenales conta com Fator Infecções Pet!
O FATOR INFECÇÕES PET®, é um medicamento homeopático que age determinando um incremento na resposta imunitária do organismo ativando os mecanismos de defesa. Desta forma os processos infecciosos têm seu quadro abrandados, pois potencializa a recuperação do animal.

Fonte: revistadonna.clicrbs.com.br

Vermes em cães tipos e sintomas

Verminose

A verminose é uma patologia muito comum em cães que pode ocasionar sérios problemas e até mesmo por em risco a vida do cão, dependendo do grau de severidade com que ocorre e da idade e estado em que se encontram.
Os diversos tipos de vermes em cães podem ser encontrados no intestino, coração, estomago, esôfago, pulmão e rins. Vermes em cães provocam irritação, infecção e destruição dos tecidos e mucosas dos órgãos onde se alojam devido a sua fixação; obstrução de vasos e dos órgãos ocos devido ao acumulo de parasitas; espoliação de células e substancias alimentares quando alojados no intestino onde retiram vitaminas e outros elementos vitais; além da ação tóxica causada pelas exotoxinas e endotoxinas que produzem.

Tipos de Vermes em cães

Existem vários tipos de vermes em cães, que são classificados entre “redondos” e “chatos”.
A contaminação pode acontecer pela via oral (ingestão de ovos, oocistos ou larvas infectantes), via percutânea (penetração ativa das larvas pela Pele), via intra uterina (através da placenta, contaminando o filhote ainda na barriga da mãe) e pela via galactogênia (filhote é contaminado através do leite da mãe).

Danos causados por vermes em cães

Muitos são os danos causados por vermes em cães como obstrução ou ruptura intestinal, anemia, diarreia, vômito, convulsões, pneumonia, emagrecimento progressivo, pêlos ásperos e sem brilho, crescimento tardio, predisposição a outras doenças, menor absorção e digestão dos nutrientes, perda de sangue e proteína. Cães com aspecto saudável também podem ter vermes e portanto, é fundamental que o cães sejam vermifugados corretamente e façam exames de rotina regularmente.

Sintomas de Vermes em cães

  • Animal com a barriga abaulada, onde é comum o proprietário achar que seu animalzinho esteja gordinho;
  • Olhar triste, que deve ser avaliado por um profissional para diferenciação de outras doenças;
  • Animal arrasta o “bumbum no chão”;
  • Magreza;
  • Fezes moles, com sangue;
  • Presença de vermes nas fezes, onde é importante a observação do proprietário para relatar ao médico veterinário o tipo de verme encontrado para um bom diagnóstico e tratamento adequado, existem vermes redondos, achatados, e vermes que soltam proglotes parecido com uma semente de pepino ou grão de arroz.

Tratamento

A Arenales é uma empresa especializada em Homeopatia Animal, com laboratórios fabricantes de medicamentos para tratamento e prevenção de diversos tipos de doenças, entre elas os vermes. Nesse caso indicamos nosso medicamento homeopático Fator Vermes Pet!

Usando o Fator Vermes Pet, nos animais adultos, ocorrerá gradativamente a eliminação dos parasitos,que serão visíveis ou não nas fezes dependendo da macroscopia dos mesmos.
Acompanhe os resultados efetuando a cada 60 dias exames de fezes.

Consulte seu Médico Veterinário pois os sintomas decorrentes da infestação da verminose deverá ser tratada especificamente com nossos Fatores Infecções Pet, Pró Imune Pet® ou Estresse Pet® conforme a recomendação após o exame clinico e exames complementares realizados por seu Médico Veterinário de confiança.

Encontre nossos produtos aqui: https://goo.gl/kH6U6W

 

Como ajudar Animais Abandonados?

Presença de animais abandonados nas ruas é uma triste realidade no nosso país. Em todas as cidades existem diversos cães e gatos abandonados e abrigos super lotados que não conseguem mais dar conta de receber e cuidar destas vidas. O governo não tem participação relevante neste problema, portanto, esta situação deveria ser uma preocupação da sociedade em geral. Se cada pessoa fizer um pouco, as condições destes animais e dos abrigos poderá ser muito melhor!

Quer saber como ajudar um animal de rua? 

Todos podemos ajudar! Conheça as diversas formas e faça a sua parte também!

Adote um animal de abrigo

Conheça o abrigo de sua cidade, escolha um cãozinho ou gatinho e dê um lar para ele! A maioria dos animais de rua morrem sem saber o que é ter uma casa e um melhor amigo que cuide dele e dê carinho.

Resgate e adote um animal das ruas

resgate_animal-640x395

Encontrou um animal em condições ruins na rua? Resgate-o. Leve ao veterinário, dê um lar, comida, água e cuidados. Ele será eternamente grato a você, pois você salvou uma vida!

Não pode adotar? Dê um Lar Temporário

German Shepherd Dog and cat together

German Shepherd Dog and cat together

Com abrigos e ruas cheios de animais abandonados, não restam muitas soluções para eles. Portanto, se você tem um espaço bacana na sua casa, pode proporcionar um Lar Temporário (LT), para um cão ou gato. Ele pode ficar por um tempo em sua casa até encontrar uma pessoa que o adote permanentemente. Lar Temporário é muito melhor que um abrigo!

Não pode dar LT? Apadrinhe uma vida

apadrinhe_vida1-640x428

Para aproximar as pessoas que querem ajudar dos animais carentes, existe o sistema de apadrinhamento, onde a pessoa escolhe uma vida do abrigo e se responsabiliza por suas despesas mensalmente, com recursos para compra de ração, água, medicamentos, vermífugos, antipulgas, etc. É muito legal também fazer visitas frequentes ao animal, pois ele precisa de contato humano e atenção frequente.

Não pode apadrinhar uma vida? Faça doações

abrigo_cachorro1-640x480

 

Os abrigos de animais abandonados sobrevivem com recursos financeiros de doações. Portanto, todo mês é uma luta para conseguir valores suficientes para compra de ração, medicamentos e reparos em canis, além de outras necessidades.
Qualquer quantia em dinheiro é extremamente útil aos abrigos. E há também quem prefira doar produtos e itens de primeira necessidade, o que também é muito bem-vindo, como: ração, medicamentos, vermífugos, antipulgas, jornais, caixas de papelão, petiscos, brinquedos, casinhas, caminhas, toalhas velhas em bom estado, materiais de limpeza, inseticidas e alguns materiais de construção para a estrutura física.

Não pode fazer doações? Participe voluntariamente

voluntario_abrigo1-640x426

 

Assim como os abrigos sobrevivem por doações, existem pessoas de bom coração que ajudam com serviços manuais e mão-de-obra voluntários. Há muitas formas de ajudar assim: realizando eventos solidários para arrecadação de dinheiro, organizando feirinhas de adoção, fazendo mutirão de limpeza do abrigo e de banho e tosa nos animais, aplicando vacinas, recebendo doações de itens, ajudando na divulgação do abrigo, conscientizando a população sobre abandono, maus tratos e castração e simplesmente indo ao abrigo para brincar e dar atenção aos cães e gatos, o que é uma experiência incrível e muito prazerosa, pois o amor recebido pelos animais é verdadeiro e emocionante.

Não pode participar voluntariamente? Divulgue, compartilhe e conscientize

gato_computador_abrigo1

Os abrigos costumam fazer bastante divulgação para conseguir doações e pessoas que adotem seus animais, para que possam oferecer um lar de verdade para cães e gatos. Eles também possuem uma necessidade de conscientizar a sociedade sobre maus tratos e abandono, que são crime, e a importância da castração, que é uma solução para diminuição de animais na rua, mas muitas pessoas não têm consciência disso.
Procure os abrigos da sua cidade pela internet e Facebook e ajude-os compartilhando as mensagens, os eventos solidários e as fotos de animais para adoção. Apoie-os de alguma forma, pois todo tipo de ajuda é extremamente bem-vindo!

Faça sua parte!

Não é difícil e é muito gratificante poder ajudar estas vidas frágeis que vivem nas ruas e sofrem muito. Ajudar quem precisa faz bem ao coração!

Fonte: bob.geracaopet.com.br

Período chuvoso requer atenção com os pets

Como sabemos, o período atual, o verão, é caracterizado pelo calor constante, mas também pelas pancadas de chuva no fim do dia. Apesar de dar uma boa refrescada no clima seco e árido, o período chuvoso pode transmitir diversas doenças para os pets.

Isso acontece, pois é justamente no período de chuvas que existe um enorme aumento na incidência de leptospirose em pets, já que a bactéria leptospira interrogans, transmissora da doença, é eliminada através da urina dos animais doentes ou portadores, que é conduzida pela chuva, expondo os demais animais que tem contato com esta água.

Dessa forma, chamamos a atenção para a principal forma de prevenir que é mantendo seu animal de estimação sempre vacinado, evitando ao máximo que ele tenha contato direto com água de enxurradas ou enchentes.

Caso seu pet tenha algum tipo de ferimento, o cuidado deve ser redobrado, pois qualquer machucadinho serve como porta de acesso ainda maior para contração da doença.

Outras doenças infectocontagiosas que os pets podem contrair com os períodos de chuva, são: Parvovirose, cinomose, hepatite infecciosa, dirofilariose (verme do coração), dentre outras nos cães e doenças do complexo respiratório felino e panleucopenia felina nos gatos.

Além disso, assim como a gente, os pets também ficam mais suscetíveis às doenças respiratórias nesse período. Para os cães, destacamos o risco de apresentar a traqueobronquite infecciosa canina (gripe canina ou tosse dos canis), que tem sintomas similares à gripe humana: coriza, irritação nos olhos, tosse seca (ou com secreção), e pode estar associada a infecções virais e bacterianas, como pneumonias. Já os gatos apresentam uma incidência maior de obstrução uretral, pois dormem mais e acabam ingerindo menos água.

Outros problemas de saúde que podem ser ocasionados nos pets durante esse período, são:

– Hipotermia: Os pets molhados podem ficar com frio, o que pode fazer a temperatura do corpo cair bruscamente.

– Problemas articulares: Naturalmente, com a chegada do clima mais ameno estes problemas surgem com maior frequência.

– Problemas de pele: As dermatites também aparecem rapidamente nessa época. Isso acontece porque os pets se molham e os pelos acabam demorando mais tempo para secar, criando um cenário perfeito para ácaros, fungos e bactérias.

Dessa forma, é importante rever as vacinas do seu pet e consultar com o veterinário a necessidade de uma cobertura extra para estar protegido. Também ajuste os passeios, evitando passear após as chuvas, tenha cuidado com o horário de banho para ele não se resfriar, e se seu cão dorme do quintal, verifique se há algum lugar para ele se abrigar durante a chuva.

Afinal, as medidas de prevenção são as melhores para proteger nossos pets das ameaças típicas dessa época do ano.

Fonte: blog.holipet.com.br

Como perceber a infecção em animais

A infecção em animais pode ser facilmente tratada quando descoberta logo no início e se o animalzinho receber acompanhamento e os cuidados necessários desde então.  Os principais sintomas não causam estranhamento na rotina, e esse é um dos motivos que dificultam a descoberta das infecções logo no começo.

Mesmo com a correria do dia a dia é preciso estar atento a todos os sintomas, por mais simples que sejam. Confira 10 dicas e saiba como perceber a infecção em animais o mais rápido possível:

cachorro com infeccao

1) Perda de Pelo 

É comum os animais perderem pelos, mas geralmente acontece quando o animal toma banho, é penteado, etc. Se a queda dos pelos acontecerem constantemente sem motivo, algo de errado está ocorrendo.

2) Febre 

A febre é um sintoma que requer mais atenção. Se o seu animal estiver quieto demais, muito tempo deitado verifique sua temperatura.

3) Falta de Apetite

Que animal não gosta de comer bem? A falta de apetite é um dos principais sintomas. Não ache ‘’comum’’ ou pior ainda ‘’frescura’’ se seu animal começar a deixar restos nas vasilhas. Procure estimular, ou até mesmo trocar a ração, se mesmo assim nada resolver, procure um veterinário o mais rápido possível.

4) Falta de Fezes

Mais um ponto muito importante. Ficar um dia sem fazer cocô NÃO É NORMAL. O intestino dos animais precisa funcionar normalmente, caso contrário isso poderá acarretar outros tipos de doenças também.

5) Tosse

Fique atento a tosses e a qualquer tipo de dificuldade respiratória do seu pet.

6) Fadiga

Como falamos na dica acima, prestar atenção na respiração do animal é essencial. Chame ele para brincar, leve para passear, aproveite e faça você mesmo uma pequena avaliação de como ele irá reagir.

7) Inchaço

O inchaço não acontece só em casos de machucados externos. Ele também é um sinal de infecção. Mas preste atenção, pet gordinho a gente aceita, inchado não.

8) Olhos vermelhos

A vermelhidão é mais fácil de ser notada, por isso voltamos a dizer: mesmo com a correria do dia a dia e cansaço da rotina, reserve um tempo para se dedicar ao seu pet.

9) Inquietação

Nem deitado o tempo inteiro, nem inquieto demais. Lembre-se que eles não conseguem se comunicar como nós, então a inquietação pode ser a forma usada para eles tentarem dizer que algo está incomodando.

10) Vômitos

As vezes acontece um engasgo aqui, uma má digestão ali, mas vômitos são sempre preocupantes e devem continuar sendo. Se seu animal tiver vômitos constantes, corra para o veterinário.

Esses sintomas são muitas vezes considerados ‘’normais’’ mas não são. Podem esconder uma doença e trazer sérios riscos para seu animalzinho.

O Fator Infecções Pet da Arenales®, é o medicamento ideal para casos de infecções em animais. Ele age diretamente no sistema imunitário, ativando os mecanismos de defesa contra as bactérias e parasitas causadores da doença.

Assim o processo infeccioso têm seu quadro estagnado e abrandado, que é quando o animal se potencializa, se recuperando.

Acompanhe as reações diárias do seu animal para garantir que ele esteja sempre seguro e saudável. Caso queira adquirir nosso produto para evitar a infecção em animais, só clicar no produto abaixo.

medicamento homeopatico para infeccoes de animais

Alimentação dos animais: o que pode e o que não pode?

Uma forma de carinho, mas que as vezes pode se tornar um transtorno é o tipo de alimentação dos animais. Todos nós sabemos o quanto é difícil resistir aquela carinha de piedade ao lado da mesa como quem diz ‘’me da um pedaço?’’ ou até mesmo brigar quando a última migalha que caiu já foi devorada.

É difícil dizer não, mas às vezes é necessário pelo bem dos nossos animaizinhos. Existem alimentos que passam despercebidos e nós achamos que os animais também podem consumi-los, afinal, o que é um pedacinho aqui? Um pouquinho ali?

chocolate-proibido-caes

Você sabe quais alimentos são esses? Veja alguns na lista abaixo e se surpreenda:

  1. Alimentação caseira: Para quem prefere dar comida em vez de ração aos animais, é necessário ter cuidados. Condimentos como alho e cebola, além de corantes e conservantes, fazem mal. Estes produtos estão presentes em temperos, por exemplo, e por isso às vezes nem é visto.
  2. Frutas cítricas: Embora façam bem para humanos, alimentos ácidos, como a laranja e o abacaxi, podem provocar problemas gástricos nos cães. Outras frutas que devem ser evitadas são as uvas ou passas. Apesar de não serem ácidas, elas podem causar ou agravar problemas renais.
  3.  Chocolate: Você sabe o que é teobromina? É uma substância encontrada no cacau e um dos principais vilões da alimentação canina. A teobromina presente no chocolate provoca graves problemas hepáticos e tem ação acumulativa no organismo. Se o seu cão é um fã de chocolate, o mercado já possui produtos específicos para eles.
  4. Alimentos de trigo: É importante estar atento com o trigo até quando vai comprar ração ao seu pet. Rações que possuem trigo devem ser evitadas, assim como pão, massa de pizza e macarrão, por exemplo, pois provocam uma alta incidência de alergias que podem se apresentar como coceiras, caspa ou problemas gastro intestinais.
  5. Ossos: Apesar de ser comum vermos em desenhos e filmes o cachorro feliz correndo atrás de um osso, a realidade pode ser um pouco mais alarmante. Conforme o alimento é mastigado, ele solta lascas que podem ferir o sistema digestivo do cão, podendo provocar perfurações ou obstruções. Apesar de alguns proprietários oferecerem tais alimentos com frequência, não é o ideal.
  6. Bebidas: Nesta categoria, existem dois produtos mais nocivos à saúde do cão: derivados de cafeína e bebidas alcoólicas. Estes produtos, além de tóxicos, causam no animal o mesmo efeito que nos seres humanos, mas com um efeito ampliado. Por isso, o café, por exemplo, pode acelerar os batimentos cardíacos do animal.

Para ajudar na saúde e bem estar do seu animal conte com medicamentos homeopáticos livres de alergias e efeitos colaterais. Visite nossa loja e confira nossos produtos para tratamentos e prevenção.