Abril Laranja: Ajude combater a crueldade contra os Animais

abril laranjaTer um animal de estimação é construir uma história de amor para vida inteira, garantindo a proteção do seu amiguinho com alimentação, higiene e bem-estar, mas nem sempre esse pensamento é levado a sério.  Ainda existem muitos pets que vivem em condições degradantes sofrendo com torturas e abusos, por isso o “Abril Laranja” foi escolhido para conscientizar a crueldade vivida pelos nossos anjinhos.

A violência contra os pets deveria ser uma preocupação social, já que diariamente casos de maus-tratos são divulgados, sendo estes considerados crimes ambientais pela Lei Federal nº. 9.605/98.  Confira abaixo atitudes que se configuram como crueldade:

  • Manter o animal preso;
  • Não alimentar de forma correta;
  • Não levar ao veterinário quando estiver doente;
  • Abrigar o pet em um lugar com pouca iluminação e ventilação;
  • Submeter a tarefas exaustivas;
  • Agredir fisicamente;
  • Provocar o stress;
  • Fazê-lo de espetáculo;
  • Abandoná-lo intencionalmente.

Denuncie

patasSe você é um apaixonado por animais, com certeza deve estar se perguntando por que alguém agiria com tamanha maldade, correto? Mas fique calmo, pois antes de mais nada devemos saber como denunciar e realizar todos os procedimentos de maneira exata.

Primeiro certifique-se que a ocorrência é verdadeira, feito isso você pode redigir uma carta para próprio infrator e assumir o seu papel de cidadão. O texto deve solicitar a regularização da situação com prazo para o cumprimento, além de mencionar a data e o local da agressão. Caso o infrator não siga com o combinado, vá até uma delegacia mais próxima ou dirija-se a Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e faça sua denúncia.

A melhor forma de combater as atrocidades contra os nossos companheiros é mostrando a sua voz, não fique calado! Afinal, todo animalzinho merece muito carinho e proteção, tratá-los bem só traz benefícios a você, deixando a vida mais saudável e cheia de amor.

 

Arraiau bão demais sô!

Junho é o mês oficial de São João, mais conhecido como santo festeiro e para comemorar esta data nada mais justo do que uma festa com muita animaCÃO. Isso mesmo, nesta época do ano os pets também podem entrar no clima com direito a trajes temáticos, quitutes, músicas e até barraca de beijo. Gostou da ideia? Então confira abaixo algumas dicas importantes para curtir a festança em segurança ao lado do seu animalzinho.

Look caipira

festa-junina-de-caes

Xadrez e chapéu são peças essenciais para uma festa junina, mas o que não falta são itens criativos para seu filhote canino arrasar no arraiá. As bandanas personalizadas, por exemplo, fazem o maior sucesso. Coloridas, confortáveis e práticas, são a aposta perfeita para os fofuchos que não gostam de muitos adereços.

Outra dica interessante é investir em camisa caipira com lenço, uma produção unissex que fica ainda mais incrível utilizando cores fortes como azul, amarelo e vermelho, além das estampas supercharmosas. Mas lembre-se que o traje não deve apresentar aspectos que prejudiquem a mobilidade ou que coloquem em risco o bem-estar do seu peludinho, combinado?

Clima

Não se esqueça que o mês de junho é marcado pela frente fria, e as temperaturas mais baixas podem deixar o seu amiguinho resfriado. Por isso, opte por festas sempre no período da tarde para aproveitar melhor o sol e garantir que o seu pet não sofra com o frio.

Comida

comidas-que-não-podem-faltar-na-festa-junina-1

O sistema digestivo dos animais é diferente do nosso, alimentos como: pipoca, paçoca, algodão doce e milho verde devem ficar distantes do alcance dos peludinhos.  O ideal é  alimentar o seu fofucho antes da festa ou procurar por empresas que preparam guloseimas específicas para os pets, assim você evita dores de cabeça e proporciona a diversão do começo ao fim da festança  

Atrações do evento

Festa sem música não é festa! Se você também é a favor desse lema e adora uma comemoração com as melhores playlists, lembre-se que o volume do som precisa estar adequado aos pets, já que a audição deles é muito sensível e requer certos cuidados, então nada de exageros hein.

Outra questão importante é o uso de fogos de artifícios, que não agradam nem um pouco os pets, podendo causar pânico e estresse aos nossos companheirinhos. Por isso, a Arenales desenvolveu o FATOR ESTRESSE PET®, para ajudar o seu fofucho a se proteger do barulho e a ficar mais calmo.

O que achou das nossas dicas? Agora que você descobriu que é possível realizar um arraiá pra lá de animado para os pets é só seguir as nossas recomendações e curtir a farra.

Adestrar seu cachorro: comandos básicos

adestrar seu cachorro

Muitos sonham que seus animais de estimação sigam as ordens do dono não é mesmo? Adestrar um cachorro de forma amadora pode parecer uma tarefa difícil, ainda mais quem não faz ideia de como começar a treinar o pet.

Precisa de muita paciência e dedicação durante o processo. É substancial que você tenha em mente como funciona a mente do seu cachorro, uma vez que existem raças muito fáceis de adestrar como também existem raças que pode acabar tirando sua paciência. Por isso mantenha a calma e tente não sair dos trilhos na hora de adestrar o seu cachorro!

Separamos alguns truques e dicas que vai te ajudar na hora te adestrar seu cão.

dar a pata

Ensine-o a dar a patinha

Sem dúvidas todo mundo que vai começar a treinar o cachorrinho tem a intenção de ensiná-lo a dar a patinha. É fácil se feito com frequência. Segure um petisco e dê a mão ao seu cachorro (de preferência a mão diferente do petisco). Em algum momento ele vai colocar a pata na sua mão. É nesse momento que você vai entregar a recompensa e fazer carinho.

Não esqueça de dizer o comando, como “dê a pata” ou outra forma que você preferir.

Ensine-o a marcar território

A coisa mais desagradável é ver as necessidades do seu animalzinho em todo canto da casa por falta de disciplina. É necessário, portanto, que comece a criar o hábito de colocar jornais e sempre levar o cachorro para lá.

Esse truque demanda um pouco mais de tempo, não pense que do dia para a noite o seu cachorro vai entender que ali é o “banheiro” dele. Também é importante reparar a que momento do dia seu animal sente mais vontade de se aliviar, assim, toda vez que ele fizer suas necessidades em um lugar inapropriado, repreenda-o no momento do ato!

Ensine-o a rolar

Antes de ensiná-lo a rolar no chão é preciso treiná-lo para que ele deite. Funcionará quase da mesma forma como dar a pata. Pegue um petisco e vá abaixando a mão até o momento que o cachorro se deitar. Logo em seguida dê o petisco para ele entender que atingiu o objetivo que você queria.

Para fazê-lo rolar, repita o comando anterior e depois leve o petisco para trás do rosto e vai fazendo um círculo. Ele vai ficar curioso e acompanhar sua mão, assim ele irá rolar!

Ensine-o a sentar

Fazer o seu cachorro sentar deve surgir de forma natural! No momento que você ver ele sentando elogie-o. É o mais básico e com isso não é complicado. Pegue um petisco e levante para que o cachorro visualize, em seguida vai abaixando a mão até o cachorro sentar.

Esse comando deve ser feito com frequência e a recompensa precisa ser dada no momento que o seu pet senta. Com isso use uma palavra para que ele associe, como “SENTA”

Dicas:

Como visto, as recompensas são importantíssimas no processo de adestramento. O cachorro irá associar isso como algo bom e sempre irá seguir o seu comando.

Outra dica importante é nunca deixar o cãozinho ficar entediado, tente sempre equilibrar o treinamento. Reserve 15 minutos do dia para se dedicar ao treino.

Também é imprescindível que durante o procedimento você não bata nele. Cachorros precisam da confiança com o dono, então seja sempre amigável e repreenda-o apenas nas horas que ele não seguir o comando. Quando fizer algo errado apenas diga “NÃO” de forma autoritária mostrando que é você quem manda.

Gostaram dos truques? Adestrar seu cachorro não é tão complicado quanto parece. Conte para gente se você já usou algum comando desse post.

Como está a caderneta de vacinação do seu pet?

carteira de vacinacao pet

“É só uma picadinha, nem vai doer nada”. Quem aí gostava de tomar vacina quando era criança? Ninguém, né? Para os peludinhos, esse também não é um dos momentos mais agradáveis, mas a gente sabe que tudo é para o bem deles. Afinal, quem ama, imuniza e previne os pets das mais diversas doenças infecciosas, garantindo a saúde e bem-estar.

Vida longa, saudável e feliz

Os animais também precisam fortalecer o sistema imunológico, por isso a vacinação é indicada como método de proteção eficaz, responsável por livrar o seu amiguinho de quatro patas de uma série de doenças perigosas. No caso dos cães, as mais comuns são: Leptospirose, Parvovirose, Hepatite infecciosa, Cinomose, Coronavírus, Parainfluenza e Raiva, já nos felinos a Panleucopenia, Rinotraqueite, Raiva, Calcivirose e Leucemia Felina ocorrem com frequência.

Vacinar também é cuidar da saúde do seu filhote e das pessoas que convivem com ele, isso porque existem algumas enfermidades que são transmitidas dos animais para nós, humanos (zoonoses).

Exemplos de zoonoses

  • Raiva: Uma das maiores preocupações para saúde pública, cuja infecção ocorre por meio da saliva dos animais. A doença é caracterizada como encefalite progressiva e aguda, ou seja, uma inflamação localizada no cérebro com taxa de mortalidade de 100%, tanto nos animais como nos homens.
  • Leishmaniose: Doença infecciosa causada por protozoários parasitas do gênero leishmania e transmitida pela picada do mosquito palha, provocando feridas na pele e outros sintomas como: febre alta, dor e inchaço abdominal.

Orientação

A primeira vacinação canina deve ocorrer após os 45 dias de vida, mas antes é essencial que o dog seja examinado por um médico veterinário qualificado, pois caso ele esteja com alguma doença, a dose anti cinomose não terá efeito. Depois de ser avaliado, o veterinário poderá realizar a aplicação corretamente.

Já o calendário de vacinação dos felinos tem início após os 60 dias de vida, com a 1ª dose da polivalente V3 ou V4.

Outra dica importante é evitar o banho dos pets no mesmo dia da vacinação, isso pode diminuir a imunidade deixando-os mais sensíveis. Então, nada de chuveiro, ok?

Efeitos

Alguns animais podem ainda apresentar reações após a aplicação da vacina como: febre, apatia e ausência de apetite. Nesta situação, o ideal é deixar o filhote em observação e manter a calma.

Pratique a guarda responsável, um ato de amor pode prolongar a vida do seu fofucho, por isso lembre-se de deixar a caderneta de vacinação sempre atualizada.

 

5 dicas de cuidados com o pássaro que você precisa saber

cuidados com o pássaro

Não são somente gatos e cachorros que se tornam bons animais de estimação. Apesar de serem mais comuns, as aves também se encaixam nesse perfil. Cuidados com o pássaro é fundamental! Não pense que é fácil escolher um pássaro, colocá-lo em uma gaiola e dar uma visitinha uma vez ou outra. As aves domésticas precisam de certos apelos que muitas vezes, você, que está pretendo adquirir um novo amigo com asas ainda não sabe!

Separamos algumas dicas importantes para saber se realmente está preparado, e caso ainda não esteja, depois desse post você estará bem confiante!

A escolha:

Conheça qual a espécie/raça você está pretendendo levar para casa. Isso porque existem infinitas raças que podem ser listadas como mais exigentes tendo um temperamento nada legal. Pesquise muito, converse com o vendedor e veja se você está apto para arcar com suas despesas. Caso você seja novato nesse novo mundo, recomendamos que escolha aves mais conhecidas para serem domesticadas como as calopsitas, papagaios ou periquitos.

Abrigo:

Se você está querendo trazer duas aves de uma vez, cuidado! Como já dito antes, conheça a espécie. Deixar em contato dois pássaros que ainda não se conhecem, pode ser complicado, por isso tenha em mente uma gaiola adequada. Recomendamos que você compre uma gaiola que dê a possibilidade da ave poder abrir suas asas independente do canto que ela tiver, para que assim ela não se sinta limitada.

Certifique-se do lugar em que essa gaiola será colocada! As aves requerem muito cuidado devido à temperatura.  Dependendo da região que você mora a espécie que está trazendo tem uma origem de clima totalmente diferente do seu. Devido a isso, faça com que sua ave se sinta o máximo confortável em seu habitat.

Transporte:

Na hora de trazer sua nova amiga, tenha em mente uma gaiola adequada para o transporte. Além disso, recomenda-se que jogue uma toalha sobre a gaiola para dar privacidade a ela. Durante o percurso, para evitar que fique balançando segure-a firme.

E não esqueça de ver se sua ave está respirando, deixe sempre uma fresta de ar para ela poder respirar!

Alimentação:

A quantidade de alimento varia de espécie para espécie, o mesmo serve para o tipo de alimento. Não vá imaginando que todas as aves se alimentam da mesma comida. Portanto, pesquise sobre as preferências que sua ave requer. Uma vez ou outra é legal levar frutas ou vegetais que você come a ela pois é muito saudável.

Estímulo:

Ficar em uma gaiola a maior parte do tempo pode ser entediante. Por isso, torne a rotina de sua ave mais interessante e estimulante! Coloque diversos brinquedos e varie sempre. Isso ajudará muito a se livrar do tédio.

Higiene e saúde:

E sem dúvidas a mais importante e vital dica para sua ave! Limpe a gaiola de seu pássaro frequentemente, apare suas penas, jamais deixe as vasilhas de comida embaixo de galhos pois elas podem defecar em cima e ser nada agradável. Também, recomendamos que você use alguns jornais velhos no fundo da gaiola para facilitar a limpeza. Visitas a um (a) Médico (a) Veterinário (a) especialista em aves é de suma importância.

Produtos essenciais para cuidar da vida do seu novo animalzinho você encontra na nossa loja Arenales!

Gostou? E agora? Está mais confiante para trazer o novo membro da família? Conte para gente!

O amor está no “AU”

Arte552

Mandar flores, escrever cartas ou convidar para um jantar especial, esses itens podem não estar no protocolo de romantismo dos peludinhos, mas eles dão um verdadeiro show de fofura quando o assunto é o amor.

Enquanto as lojas estão repletas de presentes para o dia dos namorados e as redes sociais dão dicas de lugares românticos para impressionar o cônjuge, os pets demonstram o afeto de um jeito mais simples: utilizando apenas as suas atitudes. Confira abaixo ações que são consideradas verdadeiras provas de amor pelos animais.

Olhando com aquela carinha de pidão

O olhar do seu lindinho pode dizer muitas coisas, principalmente quando ele quer receber carinho ou deseja se divertir um pouquinho, isso demonstra o quanto a sua presença é importante para ele.

Levar até você o brinquedo favorito

Essa atitude expressa o quanto o seu pet quer te fazer feliz. Ele não deseja só brincar, mas sim proporcionar bons momentos entregando um objeto carregado de valor.

Dormir de cãochinha

Se depois daquele dia cansativo e estressante, o seu bebê insiste em ficar coladinho em você com muitos lambeijos, é um belo sinal de companheirismo e lealdade. Valorize!

Ficar feliz com sua chegada

O seu pet te ama. Ficar algumas horas distantes pode parecer uma eternidade, por isso quando ele escuta o barulho da porta se abrindo fica difícil conter os pulinhos de alegria.

Levantar a sobrancelha esquerda

De acordo com um estudo japonês, esse comportamento revela a primeira demonstração de reconhecimento do dono, sendo também uma forma de expressar o amor.

O seu melhor amigo boceja junto com você?

Se essa cena ocorre com frequência, você pode se considerar uma pessoa querida.  Segundo uma pesquisa realizada na Universidade Duke, nos Estados Unidos, os peludinhos só se sentem à vontade para bocejar quando estão diante de uma pessoa especial.

Nem precisamos dizer o quanto o convívio com os pets pode te fazer feliz, né? Com eles, não existe essa de amor não correspondido.  Carinho e lambeijos estão mais que garantidos.

Lambedura Excessiva: entenda essa mania dos pets

Lambedura-excessiva

O seu Pet sofre de lambedura excessiva? Saiba os motivos e como acabar com isso.

Lamber excessivamente pode soar como algo natural, já que os felinos possuem esse hábito para limpeza. E os cachorros, se lambem por várias razões como tédio, falta de exercício físico, ansiedade e o estresse.

A compulsão por lamber as patas, genitais e cauda ocorre pelo tédio decorrente do estresse. Outros fatores são a falta de atividades físicas e o comportamento da família (dar menos atenção ao pet), deixar o animal preso também é causador da lambedura excessiva.

É fundamental prestar atenção de forma especial e profunda em relação aos sentimentos dos pets. As emoções dos cães não podem ser coadjuvantes, pois elas antecedem comportamentos bons e ruins. Dessa forma, é essencial estabelecer uma rotina saudável aos cachorrinhos. Esta deve incluir passeios, aulas de adestramento, socialização com outros animais. Ao notar que o cachorro passou por mudanças bruscas em sua vida, ele precisará de atenção.

Se o cão está ocupado, fazendo interação com os donos, possui uma alimentação adequada, faz passeios durante o dia e brinca com seus brinquedos favoritos, dificilmente ele irá desenvolver compulsão por lambedura. Não esqueça da importância de manter a saúde física e psicológica do animal, para evitar qualquer problema.

Gostou? Continue nos acompanhando e fique por dentro do mundo pet!

 

Pododermatite em Bovinos, Ovinos e Caprinos

A pododermatite também conhecida como broca é uma doença infecciosa e contagiosa que afeta os cascos dos bovinos, ovinos e caprinos.

Sua incidência é geralmente em períodos de chuva. Suas principais causas são devido a locais com muita aglomeração de animais, cascos resseacados e solo inapropriado.

pododermatite em bovinos

Os primeiros sintomas são inflamações, acompanhadas da manqueira. A doença causa dores nos cascos, febre, falta de apetite e emagrecimento dependendo da gravidade.

Essa enfermidade além de provocar sérios problemas ao animal pode lhe causar inúmeros prejuízos, como, por exemplo redução na produção de leite e carne, diminuição da fertilidade e descarte prematuro.

Como você pode observar é uma doença que causa muito incomodo, tanto para o animal quanto ao criador, por isso é necessário a prevenção para manter os animais livres desse sofrimento e você longe dos prejuízos.

Para lhe ajudar, a Arenales Homeopatianimal desenvolveu o FATOR CASCO®, um medicamento homeopático que age na prevenção e no tratamento da pododermatite. Reduz os sintomas concomitantes como dor, claudicação, edemas e inflamações provenientes dos processos acima.

Com o FATOR CASCO® a regressão da inflamação acontece de forma gradativa. O tratamento dura em torno de 6 meses, reduzindo o edema e as dores. Assim, de forma secundária as produções de carne e leite voltam ao normal.

 

fator casco - Pododermatite

Gostou? Continue nos acompanhando e fique por dentro de dicas e informações para melhorar a qualidade de vida dos nossos animais.

 

Porque pai de pet, é pai também

pai-de-cachorro

Seu filhote de quatro patas pode não dizer ”te amo” em palavras, mas abana o rabinho para expressar todo o seu amor. Pode não falar quando está faminto, mas dá um jeito de arrastar o pote de ração até você, também pode não mandar um whatsapp quando está com saudade, mas sente o seu cheirinho de longe. Ser pai é realmente uma alegria, seja pai de gente ou de cachorrinho.

O amor é o mesmo

Quando alguém se propõe a cuidar de um animalzinho, também vivencia a mesma experiência paterna com responsabilidades e deveres: criar, educar e participar do desenvolvimento do pet. Um estudo realizado na Universidade Melbourne, na Austrália, comprovou esse elo paterno através de um hormônio presente nos mamíferos conhecido como octional. Ele é responsável pelo amor entre os peludinhos e seus tutores, legal né?

Paizão coruja

Aquela frase que os filhos serão para sempre bebezinhos, não pertence só aos humanos, mas ao mundo pet também!

  • Papai de bichinho adora enfeitar o filhote com roupas, correntes e acessórios;
  • Mimam com ração, presentinhos e passeios;
  • Fotos? Ah, elas são feitas em todos os momentos e em todos lugares possíveis. “É só dizer olha o passarinho” e pronto;
  • Para os pais apaixonados, seu filho pet será para sempre o mais bonito;
  • E como todo bom herói, cuida da sua cria como ninguém.

Felicidade completa.
Se você ainda não é pai de um peludinho, ADOTE e encontre o real sentido de amar.

Saiba como lidar com cólicas em Cavalos

Cólicas em cavalos é um dos casos mais recorrente na rotina dos equinos, caracterizada como uma desordem relativamente comum do sistema digestivo, gerando um desconforto abdominal no equino. Este desconforto é acarretado por gases, obstrução gastrointestinal, inflamações ou espasmos musculares, entre outros fatores. Além destas possíveis causas, alterações no manejo diário, infestações verminóticas ou estresse também contribuem para a ocorrência desta síndrome.

colica-em-cavalo

Existem alguns tipos distintos de cólicas, das mais simples as mais graves, mas há dois critérios que podem determinar a gravidade da mesma: O grau de dor e a resposta do animal aos analgésicos.  Lembrando que se trata de uma síndrome grave que deve ser sempre acompanhada por um médico veterinário!
A medicação sem indicação veterinária pode gerar complicações no estado do animal, dificultando ainda mais no tratamento do mesmo.

SINAIS CLÍNICOS

Apesar de se tratar de uma enfermidade muito comum entre os equinos, a síndrome pode até levar o animal a morte se não for identificada e tratada corretamente. Sendo assim, fique atento aos seguintes sinais que revelam o problema abordado:

  • Olhar constantemente para os flancos;
  • Depressão ou ansiedade;
  • Rolar no chão;
  • Deitar e levantar várias vezes;
  • Cavar o chão;
  • Febre;
  • Falta de defecação;
  • Perca de apetite;
  • Taxa de pulso anormalmente alta (acima de 50 batimentos por minuto).;
  • Ausência de ruídos intestinais normais;
  • Tentativas constantes de urinar;
  • Suor em excesso.

Na identificação destes sintomas em seu animal, procure imediatamente o seu veterinário a fim de distinguir o tipo de cólica e o tratamento mais adequado para ela.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO

A prevenção é sempre a melhor opção, seja qual for a enfermidade, portanto, sabendo das possíveis causas para este problema é importante conhecer bem a sua rotina do seu animal, a fim de identificar rapidamente qualquer sintoma já apresentado.

Além disso, é preciso garantir que o equino tenha acesso fácil e contínuo a água fresca e limpa, bem como, acesso suficiente a pastagem ou feno (importantes para o funcionamento adequado do intestino). Também é necessário realizar check-ups dentais regularmente para assegurar a moagem correta da comida.

O tratamento para esta síndrome varia de acordo com o tipo de cólica a qual se refere, por isso, ao identificar os sintomas é importante consultar rapidamente o médico veterinário.

Para auxiliar no controle da síndrome e também para uso preventivo e curativo, adquira o FATOR CÓLICA GLÓBULOS®, que promove a eliminação de gases e a restauração do processo digestivo. O mesmo também age como analgésico, porém, é indicado sempre com acompanhamento do veterinário.

medicamento colica cavalos

Saiba como cuidar do seu aquário

Se você é criador de peixes ornamentais essas dicas vão ser muito úteis na hora de cuidar do seu aquário.
Embora pareça uma tarefa passiva, a observação do seu aquário regularmente pode mostrar muita coisa. Nessa hora precisamos ficar atentos para perceber as pistas visuais que ele pode nos oferecer, indicando alterações na qualidade da água ou no comportamento do seu peixe.

Os primeiros sinais podem passar despercebidos, levando a condições mais graves ou mais persistentes. Então preparamos algumas dicas de como estar atento ao fazer a manutenção do seu aquário:

como-cuidar-do-seu-aquario

  • Faça um teste para ver se o PH da água está correto. As lojas especializadas vendem kits para essa finalidade. Se o PH não estiver suficientemente equilibrado será necessário trocar a água.
  • A cada duas semanas, retire a decoração do aquário e deixe-a de molho para retirar os resíduos. Finalize, enxaguando bem as peças antes de retorná-las ao aquário.
  • NUNCA troque o cartucho de seu filtro. Ele comporta todas as boas bactérias que são o coração do aquário.
  • Esfregue o aquário com uma esponja, toalha ou outro pano de limpeza novos (certifique-se de usar algo livre de sabão ou qualquer fluido de limpeza e não deixar nenhum resíduo quando esfregar
  • Plantas vivas custam um pouco mais do que as de plástico, mas elas podem ajudar a manter o equilíbrio químico e saudável de seu aquário.
  • Mantenha a temperatura da água constante. Geralmente, os peixes morrem com o choque de mudar da água morna para a fria.

A boa manutenção do aquário é essencial para permitir que os peixes tenham água limpa e oxigênio suficientes para sobreviver. Se a água do aquário estiver cheia de impurezas, o oxigênio será escasso e o seu peixe terá dificuldades para manter-se vivo.

Gostou? Agora acesse loja.arenales.com.br, conheça e saiba como comprar nossos produtos homeopáticos para peixes ornamentais e deixá-los mais saudáveis. Quem ama, trata com Arenales!

Saiba mais sobre a alimentação dos peixes

Como saber se seu peixe está saudável o suficiente?

A alimentação dos peixes é um dos maiores segredos para sua saúde e vivacidade.
Hoje em dia, temos uma ampla variedade de alimentos, cada um com sua especialidade. Quanto maior a diversificação na alimentação, melhor será a resposta de seu peixe, esbanjando saúde e cores vivas.
Mas antes de fornecer todo tipo de alimento para seu peixe, conheça seus hábitos alimentares.

alimentacao-dos-peixes

  • Podemos alimentar os peixes apenas com alimento vivo?

Apesar de ser uma ótima fonte de proteínas e vitaminas, são deficientes em outras fontes que as rações apropriadas possuem. Deverá fornecer esporadicamente, exceto peixes essencialmente carnívoros que exigem alimentos vivos regularmente ou peixes que recusam alimentos secos até estarem totalmente adaptados no aquário.

  • Qual a melhor ração para fornecer aos peixes?

Informe-se sobre os hábitos alimentares de seus peixes para fornecer o que há de melhor e mais adequado para a espécie.

  • É possível usar várias rações ao mesmo tempo?

Pode e deve. Quanto maior a diversificação alimentar, melhor, sempre respeitando a dieta ideal para a espécie.

  • Como alimentar peixes de fundo?

Existe uma grande variedade de rações próprias para estes tipos de peixes. Forneça estas rações ao apagar as luzes, já que grande parte dos peixes de fundo tem hábitos noturnos e evitará que os demais peixes disputem pela ração.

  • É verdade que peixes comem tanto que podem até morrer?

Mito. Com exceção de peixes propriamente “gulosos” como os Kinguios, Bettas, entre outros, grande parte dos peixes chegam até a recusar alimentos.

  • Meus peixes não comem, o que poderá estar acontecendo?

Peixes recém inseridos no aquário poderão levar certo tempo até se habituarem ao novo ambiente, recusando inicialmente qualquer tipo de alimento. Com treinamento e persistência pode-se reverter a situação.

  • Meu peixe estava se alimentando e parou, o que pode ser?

A falta de apetite muitas vezes é associada a alguma doença. O estresse em peixes pode ser causado pela má qualidade da água ou alimentação indevida para a espécie. Atente a detalhes no peixe e seus hábitos para ver se não há nada de errado.

  • A alimentação influência na coloração das fezes dos peixes?

Sim. Sempre atente a coloração de suas fezes. Normalmente deverá ter cores variadas como vermelho, preto, marrom ou verde, de acordo com o tipo de ração fornecida. Fezes transparentes podem indicar alguma moléstia.

Para ajudar na saúde, bem estar e prevenção de doenças do seu peixe, acesse www.loja.arenales.com.br e confira nossos produtos. Quem ama trata com Arenales!

 

Artrite e artrose em Equinos

Esportes árduos, infecções, repetição de atividades em excesso, são alguns dos motivos que geralmente ocasionam um desgaste e inflamação nas articulações dos equinos.

Esses sintomas acompanhados de dor, rigidez, limitação de movimentos e deformação nas articulações são sinais de artrite e artrose em equinos.
E por incrível que pareça, além de nós humanos, os animais também sofrem com esse problema e os equinos são um exemplo disso.

Sintomas

Os primeiros sintomas aparecem no comportamento do animal, por isso é importante estar sempre atento e ver se o animal está correspondendo normalmente as atividades. Os equinos tendem a ficar agressivos ao serem tocados pois sentem dor, começam a mancar e apresentam perda de musculatura.

Como prevenir?

O ideal é que o animal passe por um veterinário de tempos e tempos, evite cargas e atividades de muito peso e faça uso de medicamentos complementares que o deixe mais forte e saudável e assim, prevenir esse e outros tipos de doenças.

Tratamento

O tratamento de artrite e artrose em equinos é parecido com o tratamento feito em humanos. Consiste em terapias, fisioterapias, repouso, dieta saudável e uso de medicamentos.

Lembrando que é necessário procurar sempre profissionais e medicamentos de segurança; que sejam eficazes e trate do seu animal para que ele se recupere o mais rápido possível e fique com sua saúde 100%.

Homeopatia

Pensando nisso a Arenales Homeopatianimal, focada na homeopatia veterinária, desenvolve medicamentos homeopáticos afim de prevenir e tratar diversos tipos de doenças. Um deles é o Fator Diartro® que age em artrite, artrose e outros problemas. Trate com Arenales e veja a diferença.

Você encontra esse e outros produtos na nossa loja online.

Artrite e artrose em Equinos

 

 

Insuficiência renal em gatos

Doença renal é irreversível em gatos

Assim como nos seres humanos, a função dos rins dos felinos é filtrar e eliminar as substâncias desnecessárias ao corpo, deixando apenas os nutrientes. Mas infelizmente eles sofrem da doença renal de forma irreversível. A Insuficiência Renal Crônica (IRC) pode surgir nos gatos de qualquer idade, mas é mais comum em gatos mais idosos.

insuficiencia_renal_em_gatos

Como evitar insuficiência renal em gatos?

Estimular os gatinhos a ingerir bastante água é fundamental. Lembre-se de que a água deles deve sempre estar limpa e fresquinha. Os felinos adoram água corrente, ter um bebedouro elétrico ou fontes são ótimas opções.

Sintomas da IRC

Os principais sintomas da insuficiência renal em gatos é a perda de apetite, cansaço, vômitos, perda de peso, feridas na boca, aumento de ingestão de água e produção de urina.

Consulta ao Veterinário

Ao perceber essas alterações no comportamento do seu felino é fundamental a ida ao veterinário para a realização de exames e ter o diagnóstico preciso. Nada de iniciar qualquer tratamento por conta própria, isso pode prejudicar seu gatinho.

Como tratar insuficiência renal em gatos?

É imprescindível entender que a doença renal em gatos é irreversível, sendo assim o tratamento é fundamental para retardar a evolução da doença, que costuma ser de forma muito rápida. O tratamento vai depender da situação de cada gato.

A alimentação é o primeiro passo para iniciar o tratamento, no mercado há várias rações especiais para gatos nefropatas, cuja a composição é pensada especialmente, com baixíssimos níveis de sódio e fósforo, e bem equilibradas em outros nutrientes. Ter uma alimentação regrada auxiliará os rins a trabalhar sem sobrecarga.

A homeopatia veterinária oferece tratamentos alternativos para que a insuficiência renal consiga ser controlada, mas tudo depende do diagnóstico do veterinário.

Ressaltando que devido a insuficiência renal ser irreversível nos gatinhos, a doença não apresenta a eles sentença de morte. Se controlada da forma correta eles terão uma qualidade de vida muito melhor.

Gostou? Acompanhe nosso blog e redes sociais e fique por dentro de muitas dicas e curiosidades sobre o mundo pet.

 

Depressão em cães: saiba como identificar e tratar

Se engana quem pensa que os animais estão livres das doenças mentais como ansiedades e depressão. Pelo contrário, elas podem sim se manifestar nos animaizinhos de maneira muito semelhante ao do ser humano, principalmente na forma silenciosa de agir, e é por isso que exige muita atenção para identificar e ser tratada o quanto antes.

depressao_em_caes

O que causa depressão em cães

As causas mais frequentes são as mudanças na rotina, mudança de casa, perda ou adição de um novo integrante na casa e períodos em que o animal esteve doente.

Quais os sinais da depressão em cães

Os sinais podem variar de acordo com cada pet. Cada cãozinho tem seu jeitinho de viver, então perceber mudanças de comportamento é fundamental.

Fique atento a perda de apetite, isolamento, apatia, tristeza e intolerância a toques e aproximação.

Como tratar a depressão em cães

O primeiro passo é levar seu cãozinho ao veterinário. Após ser diagnosticado seguir à risca as orientações do veterinário é essencial para a recuperação.

Medicamento é uma das principais formas de tratamento, há casos que os medicamentos homeopáticos podem ser prescritos como uma alternativa juntamente com atividades físicas, essa combinação pode trazer excelentes resultados.

Vale lembrar que além de medicamentos e atividades, o pet precisará de muito carinho e atenção para amenizar os sintomas da depressão.  Mostre a ele o quanto é querido por você, e que assim como ele, você é um amigo fiel.

Gostou? Acompanhe nosso blog, redes sociais e fique por dentro de mais dicas para cuidar bem do seu cãozinho.