Todos os posts do mês fevereiro, 2018

Medo de sair de casa: como ajudar o seu cãozinho?

Se você é apaixonado por seu pet, vai concordar conosco: passear com ele é um dos momentos mais prazerosos do dia. Levá-lo ao parque, andar pelo bairro, fazer uma leve caminhada ou qualquer outro passatempo que você e seu anjo de quatro patas possam ter juntos. Entretanto, alguns peludos não acham esses programas tão divertidos […]






cachorro-com-medo-de-sair-de-casa

Se você é apaixonado por seu pet, vai concordar conosco: passear com ele é um dos momentos mais prazerosos do dia. Levá-lo ao parque, andar pelo bairro, fazer uma leve caminhada ou qualquer outro passatempo que você e seu anjo de quatro patas possam ter juntos.

Entretanto, alguns peludos não acham esses programas tão divertidos e apresentam medo ou apreensão no momento de sair de casa. Quando isso acontece, o que fazer? Qual a causa desta reação e como podemos ajudar o pet a relaxar durante o passeio?

SINAIS DE MEDO E POSSÍVEIS CAUSAS:

O medo que seu pet sente no momento em que você deseja levá-lo para passear pode ser expressado de diferentes maneiras: tremedeira, coração acelerado, respiração rápida, tentativas de fuga, urinar ou defecar.

Tal reação pode estar ligada a algum trauma vivido anteriormente por seu pet ou a forma com que ocorreu a socialização do mesmo quando filhote. Sendo assim, é importante entender a raiz do problema para resolver com muito amor, carinho e paciência.

Referente a socialização, os primeiros meses de um cachorro são fundamentais para definir seu comportamento num ambiente externo ao longo de sua vida. Isso porque, neste período, ao expor seu pet a diferentes situações (barulhos, pessoas, animais), você irá habituá-lo a tais ambientes, evitando que o mesmo sofra futuramente com medos excessivos.

Lembrando que há algumas restrições para os pequenos durantes estes primeiros meses, se tornando essencial a orientação com o veterinário para descobrirem a melhor maneira de trabalhar a socialização do seu fofuxo.

Outra possível causa do medo, pode ser as más experiências do seu cãozinho com os passeios:

  • Ser mordido por outro cachorro durante um passeio;
  • Quase ter sido atropelado na rua;
  • Passear de carro apenas quando vai ao veterinário;
  • Ter sofrido com enjoos em seus últimos passeios de carro.

Entre outros possíveis traumas que possam gerar uma resistência no momento de sair de casa.

COMO LIDAR COM O PROBLEMA?

passeando-com-o-seu-cao

Sabemos que você sofre tanto quanto o seu fofuxo nestes momentos de medo, por isso, seguem algumas dicas de como lidar com este problema:

  • Sem pressão: Dê ao seu companheiro a chance de ganhar confiança, estando por perto e permitindo que ele tome atitude. Nunca grite ou aja com agressividade nestes momentos, estas atitudes apenas pioram a situação;
  • Lar doce lar: Nada como nosso lar, não é mesmo? Portanto, os primeiros passos podem ser no seu quintal, onde o seu pet terá sua casinha ou um espaço que ele sinta segurança como válvula de escape caso sinta necessidade;
  • Não se esqueça dele: Estabelecer e cumprir uma rotina ajuda seu Pet a se habituar com o espaço e problemas do mundo externo a sua casa. Portanto, saia quantas vezes for possível e não permita períodos longos sem dar uma voltinha.
  • Mude as referências: Se o seu pet só entra no carro apenas para ir ao veterinário ou fazer programas que não o agradam, comece a mudar essas referências, fazendo associar as saídas de carro com passeios divertidos e prazerosos;
  • Ignore o medo: Ao perceber que seu fofuxo encontra-se com medo, aja com naturalidade e ignore sua reação, ainda que pareça difícil, isso o fará perceber que tal medo é desnecessário, pois tudo está sob controle;
  • Confiança se ganha no caminho: Faça brincadeiras com bola ou brinquedos que ele esteja habituado, acompanhado de carinho e recompensas (petiscos) quando houver progressos. Isto criará um vínculo entre você e seu Pet que será essencial quando o assunto for sair da zona de conforto;
  • Coleira não: Para muitos cachorros a coleira pode representar um risco iminente, portanto, use mais vezes, deixando-o livre dentro de casa, nos ambientes conhecidos ou durante as brincadeiras, assim ele vai deixar de se apavorar quando ver o objeto;
  • Um passo de cada vez: Inicie os passeios ganhando espaço dia após dia. No início, permaneça na calçada, deixando conhecer e se familiarizar com novos cheiros, áreas, pessoas ou sons que possam ser encontrados;
  • O que foi isso?: Caso ele se espante com barulhos ou pessoas durante o passeio, não dê importância, acelere o passo recobrando a atenção do companheiro na caminhada que estão fazendo juntos;
  • Calma: Tenha paciência, afinal não é da noite para o dia que se esquece uma vida de medos e inseguranças. Confie no seu Pet, não desista, e verá que logo os passeios e momentos juntos se tornarão inesquecíveis.

Se o seu pet continuar a demonstrar medo após colocar todas estas dicas em prática, o mais indicado é buscar orientação com um médico veterinário.