HOMEOPATIA ANIMAL
HOMEOPATIA VETERINÁRIA

Estresse e fogos de artificio o que isso tem a ver com o seu pet

Enquanto muitas pessoas estão se divertindo durante as festas de época, nossos companheiros pets entram em verdadeiro pânico devido os estouros de vários tipos de fogos de artifícios como rojões, traques, bombinhas entre outros.

O medo e susto toma conta principalmente de cães e gatos. Eles se escondem embaixo de mesas, cadeiras e onde acharem que estão seguros. Cães latem, alguns somem do lar devido o desespero, simplesmente para encontrar um refúgio, e muitos donos nunca mais os encontram. É comum também se machucarem ao tentarem se proteger do barulho, atravessam vidros, se batem contra a parede, enforcam-se com a coleira.  É triste ver alguns animais com taquicardia, respiração ofegante e certas sequelas que podem ficar como mudança de comportamento e traumas emocionais.

É muito importante ampararmos nossos companheiros e prepará-los para estes momentos, gerando um ambiente aconchegante e se possível perto de seus proprietários, assim vão se sentir mais seguros.

O FATOR ESTRESSE PET® é um medicamento sem contraindicação que vai ajudar muito a manter seu pet mais calmo e muito menos estressado com essa época do ano com as festas juninas que concentra o grande uso de fogos de artifícios. O Fator Estresse tem como função, controlar o estresse, medo, ansiedade de cães e gatos, o medicamento não tem caráter tóxico. É aconselhável usar antes, durante e depois das festas para que seu pet esteja sempre calminho. #Ficadica

    03.12.2015

    Postado em Animais em Geral, Cães

    Cuide bem do bom velhinho

    Assim como acontece com os seres humanos, animais também apresentam problemas relacionados a idade. A conhecida idade senil (velhice) começa aproximadamente aos 7 anos.

    Os anos passam mais rápidos para os animais pelo fato de possuírem um metabolismo mais rápido se comparado ao nosso. Cães e gatos necessitam de cuidados especiais em seu processo de envelhecimento, como visitas periódicas ao médico veterinário; é nessa faixa etária que algumas enfermidades são mais predispostas, uma delas por exemplo é a doença renal. Ela se caracteriza-se pelo mau funcionamento gradual dos rins, ocorrendo uma perda irreversível e progressiva da função renal, por isso fiquem atentos aos sintomas como perda de apetite, aumento na ingestão de água, aumento da produção de urina, perda de peso, feridas na língua e urina com muita espuma.

    Cuide do seu velhinho do jeito que ele merece!
    O Fator Renal Pet® é um medicamento indicado para os casos de problemas renais além de totalmente seguro, o Fator Renal Pet vai proporcionar uma diminuição dos sintomas e aumentar a qualidade de vida do seu amiguinho de estimação. Deixando-o livre das principais doenças que os afetam nessa idade.

    Converse com seu médico veterinário, caso seu animal esteja apresentando alguns dos sintomas citados nesse artigo e esteja em uma fase senil necessitando de mais atenção e cuidados.

      02.12.2015

      Postado em Animais em Geral, Cães

      Equinos eles tambem sofrem de estresse.

      Muitos estudos são realizados constantemente sobre o hormônio do estresse – o cortisol. Nos animais livres na natureza, este hormônio é liberado em algumas situações como fugas ou traumas. Já nos domesticados, qualquer tipo de mudança como local, competições, pessoas estranhas, temperatura, viagens ou esforços físicos são fatores que incidem em um gradativo aumento dos níveis de cortisol, que em excesso diminui a imunidade dos animais, facilitando a entrada de bactérias, fungos e vírus oportunistas que ocasionam várias doenças, como nos equinos.

      O processo de domesticação dos animais produziu grandes atletas, porém é difícil conciliar o melhoramento genético para o esporte e conseguir trabalhar imunidade ao mesmo tempo. Para controlar a diminuição do Cortisol, deixando em equilíbrio e trabalhando como indutor de imunidade à essas doenças,  o rustic contribuiu completamente e eficazmente para oferecer melhor qualidade de vida ao animal, oferecendo melhor performance aos equinos.

      O Fator Estresse Glóbulos® é um medicamento homeopático complementar para o controle de estresse em equinos.
      É indicado na vacinação, na doma, em treinos, no transporte, na inseminação, em alterações climáticas bruscas, em alterações de manejo alimentar, na formação de novos grupos sociais, ou seja, para todas as situações que provoquem estresse. Assim, você garante a tranquilidade e saúde do seu animal.

        01.12.2015

        Postado em Animais em Geral

        Conheça os vegetais que vão dar um colorido a mais nas refeições de seu pet, sem perder os nutrientes essenciais para a saúde dele. Abaixo você pode conhecer  7 deles.

        Vegetais enriquecem a dieta diaria de seu cao.
        CENOURA
        Cães de todas as idades mão resistem a esse legume, que é recheado de fibras e vitaminas A,C e K. Pode ser dado cru ou pedaços, como petisco, ou cozida e misturada à ração.

        BRÓCOLIS
        Este vegetal é um dos campeões de preferência canino e tem o poder de ajudar no controle da pressão arterial, o que é uma vantagem para cães idosos, obesos ou predispostos ao problema.  Pode ser servido cozido e misturado  na comida do cão, o mais indicado. Só uma sugestão, ofereça-o com moderação, pois as fibras contidas no alimento podem soltar o intestino do cão.

        BETERRABA
        Vermelha e adocicada, essa hortaliça é rica em ferro, um minera que ajuda a prevenir a anemia além de contribuir com problemas digestivos ou que têm algum tipo de intolerância a ração. A beterraba pode ser servida cozida ao vapor, cortada em cubos e misture à ração.

        COUVE
        A honorável integrante da família dos repolhos contém altas doses de ferro e cálcio, além de betacaroteno, uma substância que, uma vez processada pelo organismo, transforma-se em vitamina A. É benéfico aos ossos do cão e previne problemas como a anemia, pode ser servido cozido, cortado em tiras finas e misturado à ração.

        VAGEM
        Famosa por empurra para baixo as taxas de açúcar no sangue, ela é uma grande amiga dos cães diabéticos. Outra função desse legume, segundo algumas pesquisas, é reduzir o colesterol. Caso seu cão tenha ou não é um aliado a prevenção do colesterol. Ainda, contem fibras e considerado um dos vegetais com menor quantidade de calorias, prevenindo doenças do sistema digestivo. Pode ser servida cozida em pequenos pedaços, como petiscos.

        ALFACE
        Pets que vivem ás voltas com problemas digestivos, especialmente prisão de ventre, vão adorar mastigar algumas folhas de alface. Além da textura diferente, essa verdura tem quase nada de calorias e suas fibras fazem uma verdadeira faxina no intestino, organizando seu funcionamento. E mais: a alface é repleta de nutrientes capazes de defender o organismo do pet contra os radicais livres e doenças sérias como o câncer. Vitaminas A, C, E e K além de minerais com zinco e ferro, pode ser servida picada crua ou misturada a ração.

        ABÓBORA
        Além de saborosa, ela é rica em vitamina A, que faz bem para a pele e os olhos, combate a fadiga e ainda vem recheada de radicais livres, substâncias que reforçam a defesa do organismo contra várias doenças. Outros dois méritos dessa hortaliça: previne problemas de visão e derrames e ajuda na absorção de nutrientes como proteínas e ferro. Pode ser servida cozida no vapor ou água e cortada em cubos

        ALIMENTOS PROIBIDOS PARA SEU PET
        Nem tudo o que é indicado para nós pode ser ofertado aos pets. Portanto, é bom cortar algumas hortaliças do cardápio canino. A batata, quando servida crua, contém uma toxina chamada solamina, que pode deixar o animal com o sistema nervoso deprimido. Cozida, ela costuma causar desarranjo em alguns pets, logo, é bom oferecê-la apenas com a orientação veterinária. A cebola apresenta substâncias responsáveis por causar anemias graves. Já o espinafre pode predispor o bicho à formação de cálculos nos rins.

        ATENÇÃO
        A quantidade de vegetais servidos ao cão vai depender do tamanho dele. Assim, vale conversar com o veterinário para definir a medida certa. “O ideal é que eles não ultrapassem 10% das calorias ingeridas por dia”, diz a nutróloga e veterinária Carla Maion, do Hospital Veterinário Pompéia, em São Paulo.

          01.12.2015

          Postado em Animais em Geral, Cães

          112

          Muitos de nós ficamos sem saber como o nosso querido amigo pet adquiriu estas incômodas pulgas, que são os parasitas mais comuns nos animais de estimação. Elas são pequenas, marrons e sem asas. Muita gente não sabe é como os pets acabam se infestando com este parasita. A infestação se dá em qualquer tipo de ambiente: passeios na rua, numa visita ao pet shop ou até mesmo dentro de casa. Isso acontece, pois, além do ambiente, eles podem receber as pulgas de outros animais infestados e até pelas roupas e sapatos dos próprios donos. Elas são capazes de pular até 30 cm, podem saltar 75 vezes a sua própria altura e 25 vezes seu comprimento não havendo, portanto a necessidade de contato íntimo do cão ou o gato.

          Elas representam um perigo para os pets, pois transmitem vermes, desencadeiam processos alérgicos por meio das picadas, e a ingestão das fezes das pulgas que ficam na pele do seu amigo causam uma espécie de “solitária” tanto no pet como nos seres humanos, os sintomas são: emagrecimento, diarreia, perda de pelos e até à morte se não tratada. Além de todos estes perigos os animas também sofrem com o estresse das coceiras.

          Mas as pulgas podem ser evitadas, muitos proprietários deixam os cuidados de lado no tempo do frio, mas este é um grande erro, pois quando estes insetos encontrarem condições favoráveis (temperatura e umidade) lá está o risco da infestação. Por tanto não deixe de usar o P&P Animal Glóbulos®, durante todo o ano na água de beber do seu pet, além de fazer aplicações semanais com o P&P Canil Glóbulos® no ambiente para eliminar as larvas das pulgas, e quando for passear com o seu amigo faça aplicações do P&P Animal Talco®, para repelir as que tentarem pegar uma “carona”.

          Com esta linha dos Fatores P&P da Arenales Homeopatianimal® seu pet viverá muito mais tranquilo e saudável.

            30.11.2015

            Postado em Animais em Geral, Cães

            cachorro-branco-e-preto-fazendo-bagunca

            Na ausência de seu companheiro o cão não têm muito que fazer, já que quando você está em casa, ele está sempre por perto. Muitos cães não gostam de ficarem solitários em casa, outros já aproveitam para dormir, sofrer de tédio, além de poder ficar estressado ou ansioso por conta da sua ausência.

            A ansiedade na espera de sua volta faz com que seu cão imagine várias cenas de quando vocês estão juntos, essa imaginação se torna cada vez mais real para ele, nesse momento começam a interagir com coisas ao redor que o simbolizam fazendo sentirem mais próximo de você, ai você já pode esperar a “destruição” ao seu retorno.

            O que fazer para diminuir futuros problemas de comportamento do seu cão?

            Quando for se ausentar, ao retornar procure não fazer alardes, e não se mostre ansioso para seu animal de estimação. Se por ventura você se deparar com sua casa aos avessos, procure manter a calma e o controle. Jamais dê bronca e nunca o hostilize por isso. Depois de certo tempo volte e dê a atenção merecida a ele. Evite muita excitação na saída ou na chegada, isso pode contribuir para que ele não faça a festa da desordem em sua casa.

            Ficar nervoso com seu cão, não ajuda em nada, pois ele não conciliará a bronca com o que fez, e sim entenderá a bronca com a sua chegada e a expressão de susto, tornando o problema cada vez maior. A Médica Veterinária Drª Suellenn Bittencourt indica o Fator Estresse Pet® para ajudar a diminuir a ansiedade e combater o estresse do seu cãozinho.

              30.11.2015

              Postado em Animais em Geral, Cães

              Os carrapatos são parasitas que além de trazer um enorme mal estar aos animais são transmissores de doenças perigosas.

              Erliquiose e Babesiose (nos cães), Tristeza Parasitária (nos bovinos) e Nutaliose (nos equinos), são doenças transmitidas pelos carrapatos causadas por agentes microscópicos.

              Esses agentes se instalam através da picada do carrapato. O carrapato fica alojado na pele dos animais alimentando-se de sangue. Quando infectado, o carrapato infiltra o agente através da sua picada, onde vai para corrente sanguínea ou em casos mais raros, instalam-se em feridas abertas dos animais.

              Os primeiros sintomas aparecem normalmente entre dois e 14 dias após a picada. Febre, lesões de pele, dores pelo corpo e apatia são os principais sintomas.

              carrapatos

              A doença pode ter uma cura espontânea em três semanas, em casos mais graves outros sintomas aparecem e aí é preciso recorrer a ajuda de um especialista. Varia muito de um caso para o outro: o recomendado é procurar um médico veterinário que irá avaliar a gravidade do problema com exames clínicos e laboratoriais se necessário.

              A Arenales, uma empresa especializada em homeopatianimal, oferece produtos para prevenção e controle de carrapatos e outros endo e ecto parasitas. Fator Ecto Cão® e Fator C&MC® são medicamentos homeopáticos que não oferecem nenhum tipo de risco nem efeitos colaterais. Esses medicamentos controlam os carrapatos e conforme o tempo de uso os carrapatos não conseguem mais sugar o sangue do animal. Os Fatores® Homeopáticos dão mais qualidade de vida e segurança ao seu rebanho ou animal de estimação!

              Veja os Fatores® Homeopáticos indicados para combater Carrapatos

              remedio para carrapatos

              Fator C&MC Glóbulos® Fator Ecto Cão®
                30.10.2015

                Postado em Animais em Geral

                Se você é daqueles que não consegue resistir à carinha do seu bichano pedindo comida, preste atenção nessa lista de alimentos que podem colocar em risco a saúde dos animais.

                A digestão de cães e gatos é diferente da nossa e “comidas humanas” podem provocar indigestão, intoxicação e outros problemas de saúde.

                A veterinária Karina Mussolino, da rede Pet Center Marginal/Petz, lista mais de 13 itens que devem ser evitados e explica porque eles podem fazer mal ao pet.

                “Dependendo do alimento, o animal pode sofrer desconforto como náusea, vômito, diarreia.  Há casos mais graves de intoxicação que podem acometer o sistema neurológico e cardíaco, podendo levar à morte”, alerta a especialista.

                alimentos de caes e gato

                1. Leite e derivados
                Como não produzem altas quantidades de lactase, enzima que auxilia na digestão da lactose do leite, cães e gatos desenvolvem intolerância ao alimento. Quando ingerido, o leite pode provocar dores abdominais, náusea e diarreia.

                2. Chocolate e doces
                O chocolate contém teobromina, um derivado do cacau que leva à intoxicação grave e até à morte. Já os doces, ricos em açúcar, não só são calóricos: em excesso, podem tornar os pets obesos e diabéticos. Além disso também são responsáveis por formação de tártaro, cáries e até perda do dente.

                3. Cebola e alho
                Ambos possuem uma substância chamada dissulfeto de n-propil que gera intoxicação grave pois altera a hemoglobina, provocando a destruição de glóbulos vermelhos, além de poder levar à icterícia e perda de sangue pela urina. Caso o quadro não seja tratado rápido, o animal pode falecer.

                4. Uvas e passas
                Não há uma explicação com comprovação científica, mas há relatos na medicina veterinária mostrando cães que morreram após ingerir esse tipo de alimento por falência renal.

                5. Café e chá preto
                Contêm alcaloides neurotóxicos, como as xantinas, que podem significar alterações cardíacas e neurológicas. É importante evitar o acesso do animal às xícaras dessas bebidas que às vezes são esquecidas pela casa.

                6. Frutas cítricas e outras
                As frutas mais ácidas causam problemas digestivos, por isso devem ser evitadas. No geral, as frutas podem ser oferecidas, com cuidado especial para maçã, já que as sementes são altamente tóxicas para cães e gatos, pois carregam um composto conhecido como cianogênico-cianida – com poder de alterar o processo de respiração celular dentro do organismo do animal, causando palidez das mucosas, taquipneia, taquicardia, náuseas, vômito, convulsões e até a morte. Em excesso, as frutas podem engordar os animais por serem ricas em frutose, um tipo de açúcar.

                7. Doces dietéticos
                Aqueles adoçados com xilitol podem causar danos hepáticos e até a morte em cães mais sensíveis. Isso inclui balas, biscoitos, entre outros.

                8. Abacate
                Contém o ácido persin que pode provocar vômito e diarreia no cão.

                9. Tomate e batata
                O tomate verde contém glicoalcalóides que são tóxicos para o cão, e a batata, principalmente a inglesa, é rica em solanina, que pode causar depressão no sistema nervoso central e distúrbios gastrointestinais.

                10. Noz macadâmia
                Tem uma toxina desconhecida que pode afetar os músculos, o sistema digestivo e o sistema nervoso dos cães. Já foram registrados casos de paralisia

                11. Massas cruas de pão ou bolo
                O fermento presente nessas massas resulta em gases no trato digestivo do animal, causando dor e desconforto pela distensão do estômago ou das alças intestinais.

                12. Ossos de aves cozidos
                O cozimento altera a estrutura do colágeno, tornando esse tipo de osso mais duro. Se o animal ingerir, corre o risco de ter uma perfuração gastointestinal, além de trazer dificuldades na digestão.

                13. Frituras e alimentos gordurosos
                Pizza, queijos, batata frita e outros itens da alimentação humana não só causam um desarranjo intestinal como podem levar à pancreatite, inflamação do pâncreas que pode acabar em morte do animal.

                 

                 

                  27.10.2015

                  Postado em Animais em Geral

                  Saiba quais espécies brasileiras correm risco de extinção, como a onça-pintada, o maior felino das Américas, e a pequenina ararinha-azul.

                  O Brasil é o país com maior biodiversidade de espécies no mundo, junto da Indonésia. Nosso país conta com a Amazônia, o Cerrado, o Pantanal, a Caatinga, a Mata Atlântica e os Pampas. Esses seis biomas, tão diferentes, oferecem habitats distintos e permitiram o surgimento de novas espécies durante a evolução.

                  No entanto, a Mata Atlântica já perdeu mais de 90% de sua área original, o Cerrado cede espaço para a soja e para a cana-de-açúcar. Na Amazônia uma área equivalente ao estado do Sergipe é desmatada a cada ano e a Caatinga e o Pantanal sofrem modificações em sua paisagem.

                  Muitas espécies sentem essa perda de habitat e algumas acabam extintas. Assim, o Ministério do Meio Ambiente em parceria com a Fundação Biodiversitas elaborou o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, lançado em 2008, que lista 627 espécies brasileiras ameaçadas de extinção, com base nos critérios utilizados pela União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês IUCN.

                  animais em extincao

                  Segundo o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, 13% dos anfíbios, 10% dos mamíferos, 17,8% das borboletas, 19% das plantas e 21% dos peixes do mundo se encontram aqui.

                  Em 2009 começou um novo mapeamento da fauna brasileira para elaboração da Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. 1 383 especialistas da comunidade científica se envolveram no processo de estudo de 12 256 espécies e utilizaram s critérios da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês).

                  Segundo o portal de notícias do ICMBio, a baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) e a arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus), que tiveram suas populações recuperadas, foram algumas das 170 espécies (14 mamíferos, 23 aves, 2 répteis, 45 invertebrados terrestres, 82 peixes e invertebrados aquáticos) que saíram da categoria de animais ameaçados de extinção. No entanto, a nova lista possui 1 173 animais ameaçados divididos em três categorias: Criticamente em Perigo (CR), Em Perigo (EN) e Vulnerável (VU)

                  A estimativa é que existam cerca de 1,8 milhão de espécies no Brasil, mas somente 10% são conhecidas pela ciência. A taxa de descrição de novas espécies brasileiras é de cerca de 1500 por ano.

                  Hoje, reservas e projetos de conservação lutam para a preservação de alguns animais ameaçados de extinção no Brasil. Mas ações menos pontuais, como o investimento em recursos renováveis, ajudaria a salvar essas espécies que têm direito à vida tanto quanto nós.

                  Veja acima a galeria de animais ameaçados no Brasil que a NATIONAL GEOGRAPHIC BRASIL ONLINE preparou para você. <Clique Aqui>

                  Fonte: viajeaqui.abril.com.br

                    26.10.2015

                    Postado em Animais em Geral

                    Os animais também sofrem de estresse, e esse estresse afeta tanto o estado físico quanto emocional dos bichinhos, alterando todo seu quadro de saúde, por isso é muito importante estar atento e tomar os cuidados necessários ao perceber os primeiros sintomas.

                    O principal sintoma de estresse em animais é a mudança no comportamento, pois são liberados hormônios no organismo que levam os animais à irritabilidade, agressividade, falta de apetite; os sintomas chegam a ser semelhantes ao do estresse em pessoas.

                    O estresse em animais pode ser causado por vários motivos, como por exemplo, medo de desconhecidos, má convivência com outros animais, maus tratos, mudanças de ambiente, mudanças de temperatura.

                    Quando um animal se encontra com um quadro muito desequilibrado de estresse, pode ser considerado um estado depressivo que pode levá-los a outros tipos de doenças mais graves.

                    A Arenales é uma empresa especializada em medicamentos homeopáticos. Medicamentos homeopáticos são medicamentos naturais que trazem mais segurança para o tratamento, melhorando a qualidade de vida do seu animal deixando-o muito mais saudável.

                    Para o estresse animal o Laboratório de homeopatia Arenales oferece o produto ideal para cada tipo de animal; Fator Estresse Pet® para cães e gatos; Fator Estresse Pó® para bovinos, ovinos e caprinos; Fator Estresse Glóbulos® para equinos e Fator Estresse Suíno® para suínos. A Arenales Homeopatianimal® garante a saúde do seu animal através de produtos de alta qualidade e de confiança.

                    ADQUIRA NOSSOS PRODUTOS PARA ESTRESSE EM ANIMAIS

                     

                    Fator Estresse Pet® Fator Estresse Glóbulos® Fator Estresse Pó® Fator Estresse Suíno®
                      19.10.2015

                      Postado em Animais em Geral