HOMEOPATIA ANIMAL
HOMEOPATIA VETERINÁRIA

mes do cachorro louco

Toda mamãe ou papai de pet já ouviu falar que agosto é o “mês do cachorro louco”, mas, talvez, desconheçam o porquê dessa expressão. Entre tantas e tantas teorias, uma delas justifica-se pelo aumento de cadelas no cio que, por atraírem a atenção dos machos, acabam por gerar disputas violentas entre eles. Basta um arranhão, uma mordidinha de leve, se houver o contato com a saliva de um animal contaminado com o vírus da Raiva, o outro pode estar sujeito a transmissão.  
Desta forma, com tantas fêmeas no período fértil, o mês de agosto favorece a transmissão do vírus em uma escala maior do que os demais períodos do ano.

Cuidado com a Raiva!

Como já falamos acima, a raiva é uma doença transmitida por meio do contato com a saliva (arranhões ou mordidas) ou pelo contato com secreções ou fezes de um animal contaminado.

Sabe o que é mais preocupante? A doença tem uma taxa de mortalidade de quase 100% e é considerada incurável. Além disso, a raiva pode ser transmitida também para nós humanos, que diante da agressividade do vírus pode até levar a morte.

Já viu que o assunto é sério né? E com coisa séria não se brinca, então bora procurar a carteira de vacinação do seu companheiro e garantir que esteja tudo em ordem.

Atenção com a vacina mamães!

Você e seu fofuxo podem até ficar estressados de vez em quando, mas com raiva, JAMAIS!

Por isso, é importante estar atento a vacinação anual, que além de ser obrigatória por lei, é a forma mais segura de deixar o seu bebê imune ao contágio, principalmente nos períodos de maior transmissão.

Anualmente ocorre em todo o Brasil a campanha de vacinação contra a raiva, geralmente no mês de agosto. Porém, caso seu pet esteja com a vacina vencida basta procurar o Centro de Controle de Zoonoses ou o veterinário mais próximo e fazer a solicitação, ainda que não esteja no mês da campanha.

A partir dos três meses de idade seu pet já pode receber a primeira dose da vacina, que deve ser renovada anualmente para continuar protegido.

É extremamente importante que no ato da vacinação seu fofuxo esteja saudável, caso apresentem diarreias, ou estejam em tratamento ou se recuperando de cirurgias o indicado é que aguarde para receber a vacina.

Meu Pet se meteu em uma briga, e agora?

Caso seu pet tenha se envolvido em uma briga e entrado em contato direto com a saliva de outro animal desconhecido, mantenha calma e realize os seguintes procedimentos:

  • Lave o ferimento com água e sabão e procure imediatamente orientação médica veterinária;
  • Identifique o animal agressor e seu proprietário;
  • Caso o cão ou gato for conhecido, observar o animal por 10 dias;
  • Caso o animal não tenha dono, desapareça, adoeça ou morra, procure imediatamente orientação com o Centro de Controle de Zoonoses da sua cidade.
    08.08.2019

    Postado em Cães

    Quando um animal vive em um ambiente que possui a presença de carrapatos, pode estar  sujeito a ter a doença do carrapato.

    Sobretudo, essa doença infecciosa é causada por um hemoparasita, sendo que o vetor de transmissão é o carrapato.

    Aliás, ele se alimenta do sangue do animal e a doença do carrapato pode ser manifestada de duas formas, ou pela bactéria Erhliquia, ou pelo protozoário Babesia canis.

    Como perceber que meu filhote tem a doença do carrapato?

    É necessário entender o universo de cada agente infeccioso. Caso sua cachorra esteja prenha e já tenha a doença do carrapato, pode ser que os filhotes também venham  ter a doença.

    Isso se deve ao fato de que se o animal foi infectado pelo protozoário, a infecção pode ser transmitida de forma indireta.

    Isso ocorre porque na Babesiose, os microorganismos replicam-se e atacam os glóbulos vermelhos. Assim, tanto por transfusão sanguínea ou pela placenta, os filhos estão sujeitos a contrair a doença do carrapato.

    Você consegue perceber que seu filhote está com a doença do carrapato por meio de alterações de comportamento e humor, alguns sinais incluem:

    • Falta de apetite
    • Febre
    • Dor e rigidez
    • Hematomas
    • Anemia
    • Sangramento nasal (Epistaxe)

    Dicas de como acabar com a doença do carrapato do meu filhote

    Se o seu filhote contraiu a doença do carrapato seja de forma indireta ou não, é aconselhável que você o leve ao veterinário com urgência.

    Ademais, o profissional saberá te informar o tratamento mais adequado ao seu animal: tomar medicamentos específicos ou até mesmo realizar uma transfusão de sangue.

    Ainda, é interessante seguir algumas orientações para evitar a doença do carrapato. A dica ideal seria manter distância desses ectoparasitas.

    Assim, procure higienizar o ambiente que seu filhote costuma brincar.

    Além disso, procure sempre conferir o pelo dele após o contato com outros animais ou ambientes desconhecidos.

    Controle os carrapatos com o FATOR ECTO CÃO®.

    Dessa forma, conclui-se que um ambiente bem limpo e um bom cuidado com o filhote garante a segurança contra a doença do carrapato.

    Esperamos que esse artigo tenha sido útil. Até a próxima!

      21.06.2019

      Postado em Cães

      Os animais também são afetados com doenças oculares e quando não percebidas prejudicam as atividades do cachorro no dia a dia e algumas delas são bastante semelhantes com as que afetam os humanos.

      As doenças oculares têm causas variadas, podendo ser desenvolvidas por conta de traumas, infecções e alergias.

      Nós da Arenales Homeopatianimal, preparamos um artigo para você conhecer algumas doenças oculares que ocorrem em animais, para te ajudar nos cuidados com o animal de estimação, como também outras informações para conduzir e evitar uma possível doença. Confira:

      Como perceber que meu animal está com um problema  ocular?

      Uma rotina corrida muitas vezes impede que nos atentemos a detalhes importantes na saúde do nosso bichinho, contudo, é interessante ficar atento ao cuidado dos olhos deles.

      Há sintomas que podem ser percebidos em animais que apresentam doenças oculares, como:

      • Visão embaçada
      • Olhar perdido
      • Queda constante

      Doenças oculares

      Olho Seco

      Ocasionado pelo ressecamento da superfície ocular, por lacrimejamento insuficiente. É uma doença provocada por fatores como dormir de olhos abertos, pelos grandes tocando no olho, herança genética (raças pré-dispostas), etc.

      Um dos principais sintomas é a secreção ocular (remela), que pode ser observado pela quantidade de vezes que você precisa limpar os olhos, o normal é 1 vez ao dia.

      Ao primeiro indício de ressecamento, leve seu amigo ao veterinário para evitar possíveis problemas e o desenvolvimento de doenças oculares.

      Úlcera de córnea

      Provocada por um trauma ocular como brigas entre cães, gatos, arranhões, coceira, etc,  é uma doença que mais causa perda da visão em animais,  principalmente pela demora de levar o pet ao veterinário.

      Prevenção da doença ocular em animais

      Dessa forma, o cuidado com os olhos dos animais é algo que precisa ser feito constantemente para evitar doenças oculares e até mesmo perda de visão. Assim, é necessário que adote 2 hábitos bem simples com seu bichinho:

      • Observação
      • Limpeza nos olhos diariamente

      E aí, o que achou? Esperamos que esse artigo tenha sido proveitoso para você. Até a próxima!

        11.06.2019

        Postado em Cães

        Mesmo seu cachorro sendo filhote, é importante leva-lo a um veterinário para saber se ele tem tendência a futuras doenças oculares, como o glaucoma, a catarata ou outra inflamação. Aliás, assim como nós humanos, os cãezinhos também possuem disposição a desenvolver esses tipos de doenças. Portanto, exames periódicos com um Oftalmologista Veterinário é fundamental para se prevenir o quanto antes.

        Embora possa parecer simples, existem doenças oftalmológicas que se não tratada com frequência pode piorar. Por isso vamos te ajudar a ficar atento quanto alguns sinais que o seu pet pode apresentar, a fim de evitar que problemas futuros surjam.

        Dica para o dono:

        Todo dono ama demais o seu cãozinho, portanto, é imprescindível ter em mente que a falta de higiene com o pet e a exposição de machucados, pode ajudar a desenvolver uma troca de bactérias que vem a promover doenças oculares, assim como ocorre em humanos.

        Sintomas de doenças oculares:

        Percebeu que seu cachorro anda muito incomodado com os olhos ou apresenta algum comportamento mais impaciente? Fique em alerta, pois pode ser sinal de um mal maior.

        • Coça os olhos com frequência;
        • Inflamação nos olhos;
        • Lacrimeja;
        • Sensibilidade à luz;
        • Olhos avermelhados;
        • Esbarra em objetos da casa ou por onde anda;
        • Mudança na cor dos olhos.

        Esses são alguns dos sintomas anormais que seu cachorro pode apontar. Para tanto, para obter um tratamento adequado, é necessário um diagnóstico precoce da doença. Dessa forma, não deixe que sinais passam despercebidos para que não seja tarde demais.

        Doenças mais comuns:

        Conjuntivite: Diferente do que acontece em nós humanos, a conjuntivite não é passada para o próximo. Então fique despreocupado se você acha que por causa de um cachorro os dois terão essa doença, haja vista, ela não é contagiosa. Acontece que a conjuntivite é causada muitas vezes por ações climáticas e poluição.

        Sintomas: Olhos vermelhos; secreção esverdeada; pálpebras superiores inflamadas acompanhadas de lacrimejamento.

        Catarata: Uma das principais razões que causam a cegueira em cães, a catarata apresenta os primeiros sintomas com uma mancha branca nos olhos provocando opacidade na íris dos cães. É importante tratá-la o quanto antes, caso contrário é possível que o seu pet tenha a visão obstruída por completo.

        O cristalino opaco dos olhos pode ser retirado em cirurgia. Caso seu cãozinho apresente diabetes ou recentemente levou uma pancada no olho, é imprescindível que você fique em alerta quanto ao surgimento da catarata.

        Glaucoma: Hipertensão ocular, como é comumente conhecida, ocorre quando há um aumento da pressão sanguínea no olho, sendo manifestada após uma inflamação ocular. Como também, a cor dos olhos se torna azul com o passar do desenvolvimento da doença.

        Apesar de não existir cura, com um diagnóstico precoce é possível que ela seja controlada com colírios que devem ser tomados durante toda a vida.

        Na Arenales Homeopatianimal® você encontra os melhores produtos para prevenção, tratamento e diversos problemas com seus bichinhos. FATOR OCCULUM® é mais um medicamento homeopático com a qualidade Arenales. É indicado como medicamento homeopático complementar para conjuntivites, glaucoma, cataratas, paresias, nistagmos, alteração na acomodação pupilar e úlcera de córnea em cães e gatos.

          08.01.2019

          Postado em Cães

          cachorro-com-medo-de-sair-de-casa

          Se você é apaixonado por seu pet, vai concordar conosco: passear com ele é um dos momentos mais prazerosos do dia. Levá-lo ao parque, andar pelo bairro, fazer uma leve caminhada ou qualquer outro passatempo que você e seu anjo de quatro patas possam ter juntos.

          Entretanto, alguns peludos não acham esses programas tão divertidos e apresentam medo ou apreensão no momento de sair de casa. Quando isso acontece, o que fazer? Qual a causa desta reação e como podemos ajudar o pet a relaxar durante o passeio?

          SINAIS DE MEDO E POSSÍVEIS CAUSAS:

          O medo que seu pet sente no momento em que você deseja levá-lo para passear pode ser expressado de diferentes maneiras: tremedeira, coração acelerado, respiração rápida, tentativas de fuga, urinar ou defecar.

          Tal reação pode estar ligada a algum trauma vivido anteriormente por seu pet ou a forma com que ocorreu a socialização do mesmo quando filhote. Sendo assim, é importante entender a raiz do problema para resolver com muito amor, carinho e paciência.

          Referente a socialização, os primeiros meses de um cachorro são fundamentais para definir seu comportamento num ambiente externo ao longo de sua vida. Isso porque, neste período, ao expor seu pet a diferentes situações (barulhos, pessoas, animais), você irá habituá-lo a tais ambientes, evitando que o mesmo sofra futuramente com medos excessivos.

          Lembrando que há algumas restrições para os pequenos durantes estes primeiros meses, se tornando essencial a orientação com o veterinário para descobrirem a melhor maneira de trabalhar a socialização do seu fofuxo.

          Outra possível causa do medo, pode ser as más experiências do seu cãozinho com os passeios:

          • Ser mordido por outro cachorro durante um passeio;
          • Quase ter sido atropelado na rua;
          • Passear de carro apenas quando vai ao veterinário;
          • Ter sofrido com enjoos em seus últimos passeios de carro.

          Entre outros possíveis traumas que possam gerar uma resistência no momento de sair de casa.

          COMO LIDAR COM O PROBLEMA?

          passeando-com-o-seu-cao

          Sabemos que você sofre tanto quanto o seu fofuxo nestes momentos de medo, por isso, seguem algumas dicas de como lidar com este problema:

          • Sem pressão: Dê ao seu companheiro a chance de ganhar confiança, estando por perto e permitindo que ele tome atitude. Nunca grite ou aja com agressividade nestes momentos, estas atitudes apenas pioram a situação;
          • Lar doce lar: Nada como nosso lar, não é mesmo? Portanto, os primeiros passos podem ser no seu quintal, onde o seu pet terá sua casinha ou um espaço que ele sinta segurança como válvula de escape caso sinta necessidade;
          • Não se esqueça dele: Estabelecer e cumprir uma rotina ajuda seu Pet a se habituar com o espaço e problemas do mundo externo a sua casa. Portanto, saia quantas vezes for possível e não permita períodos longos sem dar uma voltinha.
          • Mude as referências: Se o seu pet só entra no carro apenas para ir ao veterinário ou fazer programas que não o agradam, comece a mudar essas referências, fazendo associar as saídas de carro com passeios divertidos e prazerosos;
          • Ignore o medo: Ao perceber que seu fofuxo encontra-se com medo, aja com naturalidade e ignore sua reação, ainda que pareça difícil, isso o fará perceber que tal medo é desnecessário, pois tudo está sob controle;
          • Confiança se ganha no caminho: Faça brincadeiras com bola ou brinquedos que ele esteja habituado, acompanhado de carinho e recompensas (petiscos) quando houver progressos. Isto criará um vínculo entre você e seu Pet que será essencial quando o assunto for sair da zona de conforto;
          • Coleira não: Para muitos cachorros a coleira pode representar um risco iminente, portanto, use mais vezes, deixando-o livre dentro de casa, nos ambientes conhecidos ou durante as brincadeiras, assim ele vai deixar de se apavorar quando ver o objeto;
          • Um passo de cada vez: Inicie os passeios ganhando espaço dia após dia. No início, permaneça na calçada, deixando conhecer e se familiarizar com novos cheiros, áreas, pessoas ou sons que possam ser encontrados;
          • O que foi isso?: Caso ele se espante com barulhos ou pessoas durante o passeio, não dê importância, acelere o passo recobrando a atenção do companheiro na caminhada que estão fazendo juntos;
          • Calma: Tenha paciência, afinal não é da noite para o dia que se esquece uma vida de medos e inseguranças. Confie no seu Pet, não desista, e verá que logo os passeios e momentos juntos se tornarão inesquecíveis.

          Se o seu pet continuar a demonstrar medo após colocar todas estas dicas em prática, o mais indicado é buscar orientação com um médico veterinário.

            14.12.2018

            Postado em Cães

            Arte662

            As festas de fim de ano estão chegando e além de muita comida natalina, presentes, amigos secretos, é também uma época de receptividade. Para quem tem um cachorro em casa, sabe que receber visitas pode deixar o pet mais agitado, portanto, a Arenales irá dar algumas dicas de como driblar essa situação, diminuindo o estresse dos cachorros no fim de ano.

            Para quem possui um cachorro novo e sempre recebe as mesmas pessoas todo ano é importante uma apresentação amistosa para deixar o clima mais agradável. Claro que apresentar seu pet para qualquer visita é fundamental independente se é alguém que está visitando ou morando com você. O importante é deixar ele confortável com as pessoas que estão presentes no mesmo ambiente.

            Receber visitas é algo incomum, uma vez que, a rotina muda totalmente quando alguém diferente chega até sua casa. Dessa forma saiba que o seu cachorro pode captar essa informação como entretenimento, mudando totalmente o comportamento. Latidos em alto bom som, correria pelos móveis da casa é algo que pode não só irritar você como também as visitas.

            Dê atenção ao seu pet

            Inclua seu animalzinho nas atividades e conversas com as visitas, acariciando-o e chamando o pelo nome. Assim, ele não ficará tão ciumento ao ponto de querer chamar a atenção toda para ele. Lembre-se, apesar das visitas serem o foco do dia, seu cachorro também precisa de cuidado para não ficar carente. Não esqueça que ele exista e esteja sempre ali apoiando e o observando.

            Corrija o mal comportamento

            Não hesite se o mal comportamento do seu pet continuar.   É muito comum as pessoas se sentirem constrangidas em chamar a atenção do cãozinho na frente das visitas, portanto, deixar de corrigi-los é contribuir para dar a passagem livre dele fazer o que quiser, inclusive destruir seus bens. Afinal, os pets gostam de ousar e se exibir quando pessoas diferentes resolvem aparecer.

            Também é importante corrigir na frente de situações embaraçosas. É bem comum os cachorros fazerem xixi em cima do tapete quando alguém diferente chega, ou ainda pior, copular nas pernas das visitas.

            Dê brinquedos e coloque ele em um ambiente separado.

            Caso seu animalzinho esteja incontrolável, permita deixa-lo em um ambiente reservado para não incomodar as visitas, mesmo que pareça ser chato muitas vezes é preciso. Portanto, distrair ele com brinquedos novos no quintal fará com que ele fique mais calmo e você consiga aproveitar melhor as pessoas em sua casa. Depois que elas forem embora, basta chamá-lo e dar toda atenção do mundo a ele.

            Diminua o estresse dos cachorros

            O FATOR ESTRESSE PET® é indicado para todos os casos de estresse, em cães e gatos. Também indicado quando estes animais mudam de ambiente, como hospedagem em hotéis, mudança de casa, de tratadores, troca de ração. Utilizar também na ausência dos proprietários. Age no processo de socialização dos cães e gatos.

              04.01.2018

              Postado em Cães

              Se engana quem pensa que os animais estão livres das doenças mentais como ansiedades e depressão. Pelo contrário, elas podem sim se manifestar nos animaizinhos de maneira muito semelhante ao do ser humano, principalmente na forma silenciosa de agir, e é por isso que exige muita atenção para identificar e ser tratada o quanto antes.

              depressao_em_caes

              O que causa depressão em cães

              As causas mais frequentes são as mudanças na rotina, mudança de casa, perda ou adição de um novo integrante na casa e períodos em que o animal esteve doente.

              Quais os sinais da depressão em cães

              Os sinais podem variar de acordo com cada pet. Cada cãozinho tem seu jeitinho de viver, então perceber mudanças de comportamento é fundamental.

              Fique atento a perda de apetite, isolamento, apatia, tristeza e intolerância a toques e aproximação.

              Como tratar a depressão em cães

              O primeiro passo é levar seu cãozinho ao veterinário. Após ser diagnosticado seguir à risca as orientações do veterinário é essencial para a recuperação.

              Medicamento é uma das principais formas de tratamento, há casos que os medicamentos homeopáticos podem ser prescritos como uma alternativa juntamente com atividades físicas, essa combinação pode trazer excelentes resultados.

              Vale lembrar que além de medicamentos e atividades, o pet precisará de muito carinho e atenção para amenizar os sintomas da depressão.  Mostre a ele o quanto é querido por você, e que assim como ele, você é um amigo fiel.

              Gostou? Acompanhe nosso blog, redes sociais e fique por dentro de mais dicas para cuidar bem do seu cãozinho.

                01.11.2017

                Postado em Cães

                Você pode não saber, mas existem bactérias em todo lugar e há milhares delas no ar, na água, inclusive em nossos corpos. Com nossos animaizinhos de estimação isso não é diferente.

                Essas bactérias são as responsáveis pela maioria das infecções em pets e gato e outras doenças que rondam o nosso dia a dia.

                Cães e gatos são mais propícios a terem diversas infecções bacterianas. Algumas destas infecções podem até mesmo ser fatais! Mesmo uma pequena infecção bacteriana, se não tratada, pode levar nossos pets a graves problemas de saúde.

                infecao em cao e gato

                As reações podem ser as mais diferentes, e cada pet pode reagir de uma forma, o importante é estar sempre atento para perceber qualquer mudança no comportamento do seu animal, afinal, os sintomas podem não ser tão óbvios.

                Veja alguns sintomas:

                • Queda de pelos;
                • Perda de peso;
                • Aumento do volume de urina;
                • Diarreia ;
                • Diminuição do apetite;
                • Vômitos;
                • Urina com sangue;
                • Desânimo e fraquezas em geral;

                Se você desconfia que o seu pet está com infecções, procure um veterinário para fazer o diagnóstico o mais rápido possível. É preciso realizar alguns exames para avaliação antes de começar o tratamento.

                Para um tratamento seguro e eficaz utilize produtos de confiança que não vão oferecer nenhum risco ao seu animalzinho.

                Você já ouviu falar em Homeopatianimal?

                Os remédios homeopáticos são produtos naturais a base de água que não apresentam efeitos colaterais, alergias e outras complicações, proporcionando assim um tratamento muito mais fácil e tranquilo.

                Na Arenales Homeopatianimal® você encontra o produto ideal para tratar seu pet. O Fator Infecções Pet® é indicado como medicamento homeopático complementar para processos infecciosos, em cães e gatos. Ele age logo no sistema imunitário do organismo ativando os mecanismos de defesa. Desta forma os processos infeciosos tem seu quadro abrandados, pois potencializa a recuperação do animal.

                Encontre esse e outros produtos da linha Arenales. Trate bem, trate com Arenales!

                remedio para sistema imunologico pet

                 

                  27.09.2017

                  Postado em Cães, Gatos

                  Se você tem um animalzinho em casa, é importante identificar os sintomas quando ele estiver ficando com a imunidade baixa. Assim você pode evitar que ele fique doente!

                  É claro que uma consulta com um veterinário de confiança é sempre a mais segura opção, mas você pode e deve constatar os sintomas com antecedência para evitar problemas de saúde mais graves em seu pet.

                  imunidade do meu pet

                  Veja alguns sintomas:

                  Por que me preocupar com a imunidade do meu pet?

                  Melhorando o sistema imunológico do cão você deixará ele livre de complicações e futuros problemas de saúde. Além de oferecer aquele cuidado extra para os filhotes e os mais velhinhos, que nessas fases ficam em uma situação mais vulnerável.

                  O sistema imunológico é responsável por nos proteger de uma variedade de agentes infecciosos como bactérias, fungos, parasitas e vírus e com os pets, não é diferente.

                  O que pode enfraquecer o sistema imunológico do meu animal de estimação?

                  Os fatores para que um pet tenha um sistema imunológico fraco podem ser físico ou psicológico. Também não devemos descartar razões externas. Como por exemplo:

                  • Mudanças bruscas de temperatura
                  • Poluição
                  • Parasitas internos e externos
                  • Estresse
                  • Déficit nutricional

                  Como eu posso melhorar o sistema imune do meu cachorro?

                  • Estar com todas as vacinas em dia
                  • Receber uma alimentação de qualidade
                  • Passar por exames regulares com o veterinário
                  • Praticar alguma atividade física, passeios e brincadeiras
                  • Estar livre de parasitas (vermes, carrapatos, pulgas)
                  • Viver em boas condições sanitárias (local limpo, ventilado, com abrigo do calor e também do frio)
                  • Não passar por situações estressantes
                  • E claro, receber muito amor e carinho

                  Ter animais de estimação saudáveis ​​e felizes é a prioridade para qualquer dono. Pensando nisso a Arenales desenvolveu o Fator Pró Imune Pet, um remédio homeopático que promove um melhor aproveitamento do alimento de forma a ampliar a conversão alimentar e ativa os mecanismos de defesa do organismo.

                  Quem ama trata com Arenales!

                  pet_saudavel

                   

                    22.09.2017

                    Postado em Cães

                    Um filhote requer cuidados e uma atenção especial. Nós que amamos cuidar dos nossos bichinhos desde seu primeiro instante de vida, ficamos ansiosos esperando por sua chegada. Mas e quando eles realmente chegam antes da hora? Os cuidados precisam ser redobrados!

                    filhote_prematuro

                    Um filhote prematuro é um ser extremamente frágil. Confira alguns cuidados necessários:

                    • Acompanhamento: esteja por perto, assim tanto o animal quanto o filhote sentem-se mais seguros e caso aconteça algum imprevisto você vai estar ali para socorre-los imediatamente.
                    • Presença da mãe: o filhote prematuro deve estar sempre ao lado da mãe, recebendo calor, amamentação e carinho, é claro. É muito importante observar o comportamento da mãe e perceber se ela quer ou não cuidar de seu prematuro.
                    • Peso: o filhote prematuro deve ser pesado. Nas primeiras 24h de vida o filhote perde aproximadamente 10% do peso em que nasceu. Depois deve ganhar 10% ao dia. Uma parada ou perda de peso sempre indicam que alguma alteração pode estar ocorrendo.
                    • Amamentação: caso a mãe não queira amamentar, seja por rejeição ou por falta de leite, os filhotes devem ficar em locais aquecidos com temperatura ambiente e serem amamentados artificialmente.
                    • Reações: Caso você perceba alguma reação diferente do comum, atraso na formação ou sintomas diferentes no seu filhote procure um veterinário urgente e veja o que está acontecendo. Um tratamento precoce pode salvar a vida do seu filhote.

                    Os cuidados não param por ai. Mesmo crescido e esperto, seu Pet  sempre precisa de atenção quando o assunto é saúde. Nesse caso, nada melhor do que medicamentos homeopáticos para deixar seu pet mais saudável e protegido.
                    A Arenales conta com medicamentos livres de efeitos colaterais e reações alérgicas. O Pró Imune Pet por exemplo, é um medicamento homeopático que promove  melhor aproveitamento dos alimentos, e ativa os mecanismos de defesa do organismo deixando seu animalzinho imune a infecções, doenças causadas por parasitas, e muitas outras complicações.

                    Garanta a qualidade de vida do seu eterno bebê.

                    pet_saudavel

                     

                     

                      15.08.2017

                      Postado em Animais em Geral, Cães