HOMEOPATIA ANIMAL
HOMEOPATIA VETERINÁRIA

Hemoparasitose, comumente conhecida como a doença do carrapato, é um problema de grande receio para muitos donos de animais de estimação.

Pois por mais que haja cura, quando não identificada e tratada, a doença do carrapato pode ser fatal.

Assim, a Arenales preparou esse post para você ficar informado sobre o que é, e como curar a doença do carrapato.

Mas afinal, o que é a doença do carrapato?

A doença do carrapato é uma infecção grave que ocorre normalmente em cachorros e é causada por um hemoparasita. Ainda, a doença pode ser apresentada de duas formas:

  • Erliquiose (bactéria) – atua na destruição dos glóbulos brancos.
  • Babesiose (protozoário) – ataca os glóbulos vermelhos.

Embora causada por agentes distintos, ambas podem ser acometidas juntas, o que piora o quadro clínico do animal.

Ademais, o carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus) é o meio de transmissão da doença. Deste modo, ele se instala no cachorro e se alimenta de seu sangue.

Quando o animal está com a doença do carrapato e ainda, tem carrapatos se sustentando de seu sangue, ele pode ficar mais debilitado, pois além dos sintomas da doença, ele vai ter uma perda considerável de sangue.

Formas de tratamento da doença do carrapato

Por mais que não exista uma vacina, a doença do carrapato tem cura, se atendida a tempo. Assim, o tratamento deve ser iniciado de imediato quando notar mudanças no comportamento do seu cachorro e sintomas como:

  • Febre e fraqueza
  • Depressão
  • Anemia
  • Perda de peso e desidratação
  • Perda de apetite
  • Mucosas pálidas ou amareladas.

Então, leve seu animal ao veterinário, pois através de exames laboratoriais o médico dará o melhor diagnóstico,  além de saber fazer a distinção dos microorganismos que afetou o animal e ainda, qual o estágio da doença do carrapato ele se encontra.

Sobretudo, é importante o atendimento de um profissional, pois a automedicação não é indicada e pode causar mal ao seu bichinho.

Aliás, dependendo do microorganismo que atacou seu animal, o tratamento é feito de forma diferente.

Como evitar a doença do carrapato?

Contudo, para prevenir a doença do carrapato do seu bichinho é preciso seguir algumas orientações:

  • É crucial que haja a eliminação do seu vetor (Carrapato marrom). Caso seu animal esteja em fase de tratamento da doença, ter carrapatos no ambiente torna-o ineficiente.
  • Uma das formas de prevenir a doença do carrapato é observar as condições do ambiente que seu animal vive. Deixar o lugar sempre bem limpo.
  • Ainda, é necessário que você observe a pelagem do seu animal com frequência, principalmente após passeios.
  • O FATOR ECTO CÃO da Arenales controla os carrapatos dos cães sem efeitos colaterais.

Espero que esse artigo tenha sido útil para você. Até a próxima!

    14.06.2019

    Postado em Sem categoria

    Estar fraco, triste e com cansaço pode ser caracterizado por vários motivos, e apesar de na maioria das vezes aparentar ser apenas preguiça, é preciso notar o período que o animal se encontra dessa forma, pois pode significar que seu animalzinho não está bem.

    Além de nós, seres humanos, os animais também podem ter anemia. Entretanto, por mais semelhante que essa disfunção possa ser, há dificuldades em perceber os sintomas que afetam o animal muitas vezes passando despercebidas.

    Mas afinal, o que é anemia?

    Anemia caracteriza-se pela redução no número de hemácias, ou na  deficiência da concentração de hemoglobina, uma substância presente nos glóbulos vermelhos cuja função é o transporte de oxigênio para as células do nosso organismo.

    Como perceber a anemia no meu animal doméstico?

    Embora que para receber o diagnóstico do quadro clínico do seu animal seja necessária a realização de exames de sangue, o tutor do cão pode perceber alguns sintomas bem comuns em animais com anemia:

    • Gengivas e mucosas pálidas
    • Indisposição
    • Desmaio
    • Perda de pelo e apetite
    • Fadiga
    • Depressão
    • Sangue nas fezes

    O que causa anemia em cães

    Em suma, é comum relacionarmos a causa da anemia com a carência de ferro na alimentação, entretanto a anemia em cães pode apresentar quatro variações provocadas por distintas causas, são elas:

    Anemia hemorrágica

    Ligada a perda de sangue, a anemia hemorrágica pode ser provocada devido a acidentes, cortes, feridas e até mesmo por úlcera ou câncer. E os sintomas podem ser percebidos pela presença de sangue nas fezes ou na urina.

    Anemia hemolítica (imunomediada e congênita)

    ligada ao sistema imunológico do animal e pode apresentar como imunomediada, no qual ocorre a destruição de células pelo aparecimento de anticorpos e células invasoras, ou como congênita, que surge por meio de uma causa hereditária ou intoxicação.

    Anemia aplástica

    Sobretudo, pode ser causada por tumores, radiações, infecções, etc no qual a produção de glóbulos vermelhos na medula óssea é interrompida.

    Ademais, é preciso ficar atento aos carrapatos, pois doenças transmitidas por este podem destruir as hemácias e ser responsável pela anemia em animais.

    Dessa forma, levar o cachorro ao veterinário regularmente é importante tanto para descobrir os tratamentos mais adequados, como  evitar o agravamento de outras possíveis doenças. Esperamos que esse artigo tenha sido útil, até a próxima!

      05.06.2019

      Postado em Sem categoria

      A Fitoterapia e Homeopatia são dois processos utilizados para o tratamento doenças, e são metodologias que buscam tratar de forma natural, logo, não são provenientes de materiais industrializados.

      Entretanto, a Fitoterapia e Homeopatia possui diferenças quanto à sua forma de terapia medicinal. A fitoterapia utiliza plantas para o tratamento, enquanto a homeopatia emprega elementos de origem animal ou mineral.

      Entretanto, as diferenças entre Fitoterapia e Homeopatia não se restringem somente à matéria prima de seus métodos, vai muito além, distinguido também na forma como o diagnóstico é obtido.

      Assim, nós da Arenales preparamos um post para tirar todas suas dúvidas a respeito das diferenças entre Fitoterapia e Homeopatia, confira:

      Fitoterapia

      A Fitoterapia tem origem exclusivamente vegetal. Assim, quando se utiliza parte de uma planta como matéria prima em um produto farmacêutico, que tenha efeito farmacológico, é considerado um medicamento fitoterápico.

      Embora seja um medicamento natural, os medicamentos fitoterápicos apresentam substâncias químicas (fitocomplexos), e é justamente essas substâncias que permitem o efeito terapêutico dos medicamentos fitoterápicos.

      Assim, a Fitoterapia é uma terapia com medicamentos que possuem substâncias com matéria química atuantes diretamente no corpo, ao contrário da homeopatia, no qual apresenta ação física.

      Homeopatia

      O corpo precisa ser estimulado para buscar o equilíbrio. A Homeopatia, dispõe de um método que proporciona exatamente isso.

      O procedimento homeopático objetiva o tratamento de doenças a partir do uso de medicamentos que produz efeitos semelhantes aos sintomas, porém com doses reduzidas.

      Essas doses são diluídas de elementos extraídos da natureza (com origem animal, vegetal e mineral).

      E ainda, os medicamentos homeopáticos não possuem matéria química, dessa forma, não apresentam efeitos colaterais, ao contrário dos fitoterápicos, que podem ocasionar algumas reações como alergias, irritações, etc.

      Esperamos que esse artigo tenha sido útil e você tenha tirado suas dúvidas das diferenças entre Fitoterapia e Homeopatia. Até a próxima!

        24.05.2019

        Postado em Sem categoria

        A insuficiência renal que acomete humanos, também se manifesta em animais. Assim, março é reconhecido como o mês do cuidado e prevenção a doenças dos rins.

        No entanto, é importante entender que os cães e gatos têm com frequência essas enfermidades, e por isso, precisa-se tomar os devidos cuidados para prevenir e garantir a saúde do seu pet.

        Afinal, um diagnóstico precoce é fundamental para evitar problemas mais graves com o seu animalzinho. Pensando nos pets e pensando na conscientização da prevenção contra às doenças renais em cães e gatos.

        A Arenales selecionou algumas dicas para te ajudar a lidar com seu animalzinho de estimação.

        Quais os sintomas?

        • Perda de apetite
        • Perda de peso
        • Aumento ou diminuição no consumo de água
        • Aumento ou diminuição de frequência urinária
        • Cansaço/fraqueza
        • Vômitos
        • Feridas na boca/ mal hálito
        • Deterioração na pelagem

        Diagnóstico: Exames de sangue, urina e ultrassom abdominal, para ter uma noção sobre as doenças renais.

        Como saber sobre as doenças renais?

        As doenças renais, age de forma silenciosa. Portanto, quando os sintomas começam a se manifestar, é porque apenas 20% dos rins do seu animal estão funcionando normalmente. Assim, fica difícil o tratamento para os animais que estão em estágios avançados como esse.

        Contudo, é imprescindível uma vista periódica com um médico veterinário, para que a descoberta da doença seja feita o mais breve possível. Além disso, a importância de um acompanhamento é essencial para que haja uma atenção com a saúde do pet.

        Recomenda-se que pelo menos uma vez por ano o seu animalzinho esteja fazendo exames gerais, a fim de detectar qualquer problema.

        Entretanto, atualmente existem novos testes capazes de identificar a doença ainda quando 25% dos órgãos estão comprometidos. O que já agiliza o tratamento da doença.

        Apenas um médico veterinário poderá indicar o melhor tratamento a se fazer, e uma boa alimentação contribui diretamente para a melhora dos quadros.

        Terapias e formas de tratamento

        Após a consulta com um especialista veterinário e suas orientações, é possível amenizar sintomas e ainda contribuir para a qualidade de vida do seu animalzinho.

        A Arenales trabalha com o FATOR RENAL PET, na qual é um Medicamento Homeopático Complementar em Insuficiência Renal e suas manifestações clínicas.

        Além de não apresentar riscos de intoxicação com que irá manipulá-lo, ele atende as boas normas de fabricação e qualidade dos medicamentos de uso veterinário.

        Ademais, ele é indicado como medicamento homeopático  em:

        • Nefrites
        • Nefroses
        • Supressão urinária
        • Degeneração renal
        • Uremia
        • Proteinúria
        • Urina Sanguinolenta com febre
        • Vômitos
        • Desidratação

        Dessa forma, é possível sim cuidar do seu melhor amigo! Esteja sempre indo atrás de deixar os exames em dia, busque tratamento e conte com a Arenales sempre!

        Você encontra no site da Arenales diversos medicamentos homeopáticos que pode ajudar a situação do seu pet.

        Ajude a promover a conscientização da prevenção das doenças renais! Infelizmente ela acomete muitos animais, entretanto, passa despercebido. Não espere ser tarde demais para buscar tratamento, comece agora.

        Até a próxima!

          25.03.2019

          Postado em Sem categoria

          Sabia que existem sinais engraçados que podem indicar um pedido de ajuda do seu pet?

          Eles são sempre carinhosos, amáveis, confortantes e muitas vezes conseguem tirar boas risadas devido algumas situações.

          Afinal, é muito comum as pessoas gravarem e se divertirem das trapalhadas dos cãezinhos, mas é importante entender que há comportamentos engraçados que podem indicar que o seu pet está precisando de ajuda.

          Por isso, neste post você verá quais sinais o seu cachorro apresenta e porque deve procurar um especialista veterinário!

          Conheça os 5 sinais engraçados dos cães que podem significar algo mais sério:

          Perseguir a própria cauda:

          Quem nunca se deparou com uma cena do cachorro perseguindo a própria cauda? É muito comum isso e também muito sério; até porque, quando os pets começam a perseguir a cauda, significa que eles podem estar com problemas na coluna como dores, ou ainda, problemas na pele.

          Há também a possibilidade do seu pet estar sofrendo de alguma desordem compulsiva, tal como acontece em nós humanos.

          Portanto, não deixe de procurar ajuda assim que registrar cenas como essas. É a saúde do seu pet em jogo!

          Agachar-se

          Outro sinal engraçado que pode indicar um pedido de ajuda do seu cão é quando ele se agacha.

          Vale ressaltar que apesar de ser muito comum é preciso ficar de olho quando ele agacha. Até porque, é normal eles fazerem isso na hora que estão brincando.

          Se o seu pet der sinais fora do momento de lazer, saiba que ele pode estar com dores abdominais. Ainda, é capaz de ser alguma pancreatite, na qual é uma das dores abdominais mais graves.

          A pancreatite se desenvolve após uma dieta a base de alimentos gordurosos, ou ainda quando os cães filhotes apresentam dificuldades para se alimentar, além de vômitos.

          Dessa forma, uma visita ao veterinário é emergencial!

          Coçar as orelhas com as patas traseiras

          Comumente visto pelos donos dos cães, é a coceira nas orelhas. A princípio pode parecer engraçado, porém se o cãozinho continuar significa que há a presença de algum parasita.

          É muito importante que seu pet faça um controle de pulgas, pois além de incomodar a rotina também pode causar lesões e vermelhidão na região que coça.

          Esfregar a cara no chão

          Quando o cãozinho esfrega a cara no chão, pode ser facilmente confundido como um sinal de afeto.

          Entretanto, saiba que além de poder ser algum tipo de coceira na região, pode significar também inflamação nos olhos e ouvidos.

          Deste modo, se a irritação no seu pet for extrema a ponto de aparecer feridas e quedas de pele, leve urgentemente ao médico veterinário.

          Arrastar o traseiro no chão

          Neste caso, o seu cãozinho pode estar passando por um momento de dor e coceira intensa. Muitas vezes eles chegam a lamber e a tentar morder a região para aliviar o incômodo. Portanto, saiba que não é normal presenciar cenas como essas, embora muitos ainda ignoram.

          Esse sinal pode significar inflamação da região anal nas glândulas, na qual produzem um odor ruim que apesar de consideramos ruim, outros cães percebem isso como identificação. Por isso é comum ver os cães colocarem o focinho nos traseiros dos demais.

          Dessa forma percebe o quanto é importante ter um cuidado especial com o animalzinho, uma vez que, nem sempre uma coisa engraçada ou fofa é motivo de entretenimento e sim de algo mais sério!

          Por isso, ficar de olho constantemente verificando cada comportamento, já é fundamental para garantir uma melhor qualidade de vida para o pet.

          Até porque, imagina se fosse uma situação contrária? Ninguém iria gostar de não ser cuidada e amada. Quem ama cuida, e visitas rotineiras ao Médico Veterinário de confiança é de suma importância.

          Arenales está sempre buscando te ajudar com a vida dos bichanos! Visite a loja.

            26.02.2019

            Postado em Sem categoria

            adestrar seu cachorro

            Muitos sonham que seus animais de estimação sigam as ordens do dono não é mesmo? Adestrar um cachorro de forma amadora pode parecer uma tarefa difícil, ainda mais quem não faz ideia de como começar a treinar o pet.

            Precisa de muita paciência e dedicação durante o processo. É substancial que você tenha em mente como funciona a mente do seu cachorro, uma vez que existem raças muito fáceis de adestrar como também existem raças que pode acabar tirando sua paciência. Por isso mantenha a calma e tente não sair dos trilhos na hora de adestrar o seu cachorro!

            Separamos alguns truques e dicas que vai te ajudar na hora te adestrar seu cão.

            dar a pata

            Ensine-o a dar a patinha

            Sem dúvidas todo mundo que vai começar a treinar o cachorrinho tem a intenção de ensiná-lo a dar a patinha. É fácil se feito com frequência. Segure um petisco e dê a mão ao seu cachorro (de preferência a mão diferente do petisco). Em algum momento ele vai colocar a pata na sua mão. É nesse momento que você vai entregar a recompensa e fazer carinho.

            Não esqueça de dizer o comando, como “dê a pata” ou outra forma que você preferir.

            Ensine-o a marcar território

            A coisa mais desagradável é ver as necessidades do seu animalzinho em todo canto da casa por falta de disciplina. É necessário, portanto, que comece a criar o hábito de colocar jornais e sempre levar o cachorro para lá.

            Esse truque demanda um pouco mais de tempo, não pense que do dia para a noite o seu cachorro vai entender que ali é o “banheiro” dele. Também é importante reparar a que momento do dia seu animal sente mais vontade de se aliviar, assim, toda vez que ele fizer suas necessidades em um lugar inapropriado, repreenda-o no momento do ato!

            Ensine-o a rolar

            Antes de ensiná-lo a rolar no chão é preciso treiná-lo para que ele deite. Funcionará quase da mesma forma como dar a pata. Pegue um petisco e vá abaixando a mão até o momento que o cachorro se deitar. Logo em seguida dê o petisco para ele entender que atingiu o objetivo que você queria.

            Para fazê-lo rolar, repita o comando anterior e depois leve o petisco para trás do rosto e vai fazendo um círculo. Ele vai ficar curioso e acompanhar sua mão, assim ele irá rolar!

            Ensine-o a sentar

            Fazer o seu cachorro sentar deve surgir de forma natural! No momento que você ver ele sentando elogie-o. É o mais básico e com isso não é complicado. Pegue um petisco e levante para que o cachorro visualize, em seguida vai abaixando a mão até o cachorro sentar.

            Esse comando deve ser feito com frequência e a recompensa precisa ser dada no momento que o seu pet senta. Com isso use uma palavra para que ele associe, como “SENTA”

            Dicas:

            Como visto, as recompensas são importantíssimas no processo de adestramento. O cachorro irá associar isso como algo bom e sempre irá seguir o seu comando.

            Outra dica importante é nunca deixar o cãozinho ficar entediado, tente sempre equilibrar o treinamento. Reserve 15 minutos do dia para se dedicar ao treino.

            Também é imprescindível que durante o procedimento você não bata nele. Cachorros precisam da confiança com o dono, então seja sempre amigável e repreenda-o apenas nas horas que ele não seguir o comando. Quando fizer algo errado apenas diga “NÃO” de forma autoritária mostrando que é você quem manda.

            Gostaram dos truques? Adestrar seu cachorro não é tão complicado quanto parece. Conte para gente se você já usou algum comando desse post.

              18.12.2018

              Postado em Sem categoria

              Assim como nós humanos, as aves estão sujeitas às infecções respiratórias. Aliás, é muito comum tais animais apresentarem esse tipo de problema, uma vez que, possuem um sistema respiratório delicado. Enquanto os mamíferos respiram pelos músculos abdominais e os intercostais e apresentam diafragma, as aves não apresentam esse último. Ademais, os pássaros possuem os pulmões rígidos sendo incapazes de se expandirem e manter a reserva de ar.

              Para tanto, as aves foram evoluindo e se adaptando às exigências que sua capacidade de voar exigia tendo assim uma alta taxa de metabolismo. Como também, são afetadas por toxinas mais rápido que em humanos. Portanto, é muito difícil os donos identificarem os sintomas, logo que as doenças respiratórias evoluem rapidamente.

              Quais os sinais de infecções respiratórias em Aves?

              O movimento da cauda entrega ao dono o sinal do problema que está acontecendo, por isso é importante você ter ciência de pequenos gestos que emanam da sua ave. Toda vez que a ave respira, a cauda dela movimenta-se para cima e para baixo. Porém, nas aves que são saudáveis esse movimento passa despercebido. Assim, se você perceber que o movimento é muito perceptível quando ela estiver em repouso, saiba que ela pode estar com problemas respiratórios. Então repare sempre no movimento da cauda, pois ela é a que melhor passa o sinal de que a doença está em seu pássaro.

              Outros sinais de problema respiratório

              Descarga nasal ou ocular: Secreção saindo pelas narinas ou nos olhos pode ser sinal de problemas respiratórios, independente se for um corrimento mais espesso ou mais líquido.

              Nariz entupido: acontece quando as vias aéreas são bloqueadas.

              Respiração difícil: prestar atenção no ritmo da respiração da ave é importante para detectar se a ave está tendo dificuldades para respirar.

              Perda de peso: problemas respiratórios faz com que muitas aves percam o apetite levando à perda de peso, por isso é bom observar se seu pássaro está se alimentando.

              Espirros ou tosse: quando as aves espirram ou tossem e fazem outros sons como se estivessem gemendo, pode ser indicação de um problema na respiração do seu pássaro.

              Mudança no tom de voz: A zona onde se encontram as cordas vocais pode ser um índice de infecção na traqueia e com isso sua ave apresentar alteração na voz.

              Doenças comuns:

              • Aspergilose: Comum em papagaios cinzentos
              • Ácaros traqueais: Comum em canários, periquitos e fringilídeos
              • Psitacose/ Clamidiose: Comum em periquitos, papagaios amazônicos e caturras. É uma doença transmissível ao homem.

              Causas:

              Um dos fatores que podem provocar esses problemas respiratórios é o stress, que acabam enfraquecendo o sistema imunitário tornando as aves mais suscetíveis a infecções. Como também, uma má alimentação ou falta de alimentos ricos em vitamina A, contribui para o mal dos pássaros. Ademais, é imprescindível que você coloque seu animal com asas em um ambiente higiênico para evitar surgimento de parasitas.

              O FATOR INFECÇÕES AVES® é indicado para o controle de infecções respiratórias e intestinais em aves.

                14.12.2018

                Postado em Sem categoria

                cascos
                Uma das partes mais importantes do organismo de um Equino são os cascos. Eles sustentam o peso e o deslocamento do cavalo, cabendo então, um maior cuidado quanto a sua saúde e durabilidade.

                Para tanto, cuidar desde cedo do seu animal ajuda a evitar gastos maiores futuramente, uma vez que, quando a doença no casco complica, acaba prejudicando a vida do equino fazendo com que ele se afaste das atividades de lazer. Assim, é importante vistas periódicas nos cascos, afim de evitar uma série de problemas.

                Como ocasionam os problemas nos cascos?

                Geralmente a falta de manutenção ou o casqueamento, como dito anteriormente, faz com que algo de anormal com o casco passe despercebido. Ademais, o excesso de umidade e sujeira prejudica os cascos, assim como a falta de hidratação. Logo, vale ressaltar a importância de manter um equilíbrio evitando que o Equino fique em lugares muito úmidos ou secos. Pois, o ressecamento faz com que o casco perca a flexibilidade e capacidade de amortecer.

                Uma boa dica é investir em baldes de água e fazer com que o animal molhe a pata pelo menos uma vez por dia, cerca de 15 minutos. Isso já é suficiente para manter o casco dos equinos hidratados.

                Problemas comuns em cascos:

                Rachadura: Fazer com que o animal ande em regiões irregulares sem o uso correto das ferraduras, faz com que surjam rachaduras nos cascos. Por isso evite que ele se desloque em locais inapropriados fazendo também a correta manutenção

                Sapinho: Se você não quer que o casco do seu cavalo apodreça, evite que ele esteja exposto em lugares sujos e ambientes úmidos, uma vez que, o sapinho é causado por bactérias que causam um forte odor. Por isso mantenha seu animal em pisos limpos.

                Laminite: Ter uma alimentação balanceada e evitar produtos alérgicos, ajuda evitar o aquecimento do casco. Em casos mais graves, a Laminite faz com que ocorra a separação da parede do casco do resto do pé. Portanto é bom ter um cuidado e prevenir essa doença, logo que os sintomas nem sempre são visíveis a olho nu.

                Abscessos: Resultam geralmente de um machucado na parte macia do pé do cavalo, ou oriunda de alguma picada que cause dor no animal. Assim, quando for fazer a limpeza diária é importante reparar em sinais desse tipo de ferida.

                O FATOR CASCO® é elaborado de acordo com as Normas da Farmacopéia Homeopática, as quais são estritamente seguidas pelo Laboratório Veterinário Homeopático Fauna & Flora Arenales, não apresentando risco de intoxicação para a pessoa que irá manipulá-lo e nem para os animais que entrarão em contato com o produto.

                O FATOR CASCO possui como veículo sacarose, contendo medicamentos homeopáticos derivados de vegetais.

                fator_casco

                Desse modo, se você preza por cuidados com seu animal faça inspeções periódicas e contribua diariamente para a saúde do seu Equino.

                A loja Arenales possui medicamentos que te ajudam a tratar e prevenir doenças em Equinos.

                  10.12.2018

                  Postado em Sem categoria

                  Cólicas em cavalos é um dos casos mais recorrente na rotina dos equinos, caracterizada como uma desordem relativamente comum do sistema digestivo, gerando um desconforto abdominal no equino. Este desconforto é acarretado por gases, obstrução gastrointestinal, inflamações ou espasmos musculares, entre outros fatores. Além destas possíveis causas, alterações no manejo diário, infestações verminóticas ou estresse também contribuem para a ocorrência desta síndrome.

                  colica-em-cavalo

                  Existem alguns tipos distintos de cólicas, das mais simples as mais graves, mas há dois critérios que podem determinar a gravidade da mesma: O grau de dor e a resposta do animal aos analgésicos.  Lembrando que se trata de uma síndrome grave que deve ser sempre acompanhada por um médico veterinário!
                  A medicação sem indicação veterinária pode gerar complicações no estado do animal, dificultando ainda mais no tratamento do mesmo.

                  SINAIS CLÍNICOS

                  Apesar de se tratar de uma enfermidade muito comum entre os equinos, a síndrome pode até levar o animal a morte se não for identificada e tratada corretamente. Sendo assim, fique atento aos seguintes sinais que revelam o problema abordado:

                  • Olhar constantemente para os flancos;
                  • Depressão ou ansiedade;
                  • Rolar no chão;
                  • Deitar e levantar várias vezes;
                  • Cavar o chão;
                  • Febre;
                  • Falta de defecação;
                  • Perca de apetite;
                  • Taxa de pulso anormalmente alta (acima de 50 batimentos por minuto).;
                  • Ausência de ruídos intestinais normais;
                  • Tentativas constantes de urinar;
                  • Suor em excesso.

                  Na identificação destes sintomas em seu animal, procure imediatamente o seu veterinário a fim de distinguir o tipo de cólica e o tratamento mais adequado para ela.

                  PREVENÇÃO E TRATAMENTO

                  A prevenção é sempre a melhor opção, seja qual for a enfermidade, portanto, sabendo das possíveis causas para este problema é importante conhecer bem a sua rotina do seu animal, a fim de identificar rapidamente qualquer sintoma já apresentado.

                  Além disso, é preciso garantir que o equino tenha acesso fácil e contínuo a água fresca e limpa, bem como, acesso suficiente a pastagem ou feno (importantes para o funcionamento adequado do intestino). Também é necessário realizar check-ups dentais regularmente para assegurar a moagem correta da comida.

                  O tratamento para esta síndrome varia de acordo com o tipo de cólica a qual se refere, por isso, ao identificar os sintomas é importante consultar rapidamente o médico veterinário.

                  Para auxiliar no controle da síndrome e também para uso preventivo e curativo, adquira o FATOR CÓLICA GLÓBULOS®, que promove a eliminação de gases e a restauração do processo digestivo. O mesmo também age como analgésico, porém, é indicado sempre com acompanhamento do veterinário.

                  medicamento colica cavalos

                    03.12.2018

                    Postado em Sem categoria

                    agressividade entre os peixes

                    Todo criador de peixe sente a necessidade de trazer novos amiguinhos para compor o aquário. Portanto, deve-se atentar quanto ao histórico dos novos peixes uma vez que há espécies que antes habitava um ambiente mais agitado agora precisa se habituar em um viveiro mais calmo. Para isso, separamos algumas dicas que vai te ajudar na hora da chegada do novo inquilino de forma a tornar a receptividade mais harmoniosa e assim reduzir a agressividade entre os peixes

                    Comportamento

                    Como já dito, é preciso se atentar quanto a origem do novo inquilino. Assim, recomendamos que leia sobre o seu novo peixe e verifique se a espécie dele é mais agressiva, com isso evite juntar em um mesmo aquário duas espécies afrontosas demais.

                    O habitat

                    O lugar onde o seu peixe vai viver é bem importante. Tente sempre manter o aquário limpo, pois além de ser bom para a sua saúde, ajuda a melhorar o comportamento dos peixes. Há um post no blog que fala sobre como fazer a manutenção do aquário

                    Espaço

                    Quanto mais espaço melhor! Não fique ansioso querendo colocar vários peixes em um mesmo aquário se ele é pequeno demais. Superlotar o aquário é furada, não ajudará nada a diminuir a agressividade deles. Caso contrário recomendamos que você substitua o aquário por um maior.

                    Esconderijos

                    Um aquário muito aberto pode intimidar a convivência dos peixes, para isso invista em esconderijos como cavernas nas rochas. Assim, seu novo peixinho terá muitos lugares para ir sem deixar seu dia estressante.

                    Alimente-os

                    Se você está trazendo um novo inquilino e não sabe como os antigos peixes irão reagir, alimente-os! Isso mesmo, alimentar os peixes antes de adicionar os novos irá ajudar a diminuir a agressividade destes.

                    Iluminação

                    A ideia da iluminação é parecida com a ideia de alimentar os peixes. Serve como mais um truque para acalmar os antigos habitantes. Na hora de colocar os novos moradores apague as luzes e logo em seguida ligue. Eles nem vão perceber a mudança pois não viu você colocando e não precisarão se estressar com isso.

                    Viram que os peixes podem ser bem exigentes não é mesmo? Apesar de parecer bobeira muita gente não se atenta e acaba ignorando a qualidade de uma boa convivência. Estresse não é saudável para seu peixe!

                    Agora acesse loja.arenales.com.br, conheça e saiba como comprar nossos produtos homeopáticos para peixes ornamentais e deixá-los mais saudáveis. Quem ama, trata com Arenales!

                      24.11.2018

                      Postado em Sem categoria